O Londrina tem um objetivo claro nesta temporada: subir para a primeira divisão. Para chegar lá no final do ano, o clube montou uma estratégia especial, inclusive com uma surpreendente parceria com o Novorizontino, fazendo com que alguns dos principais jogadores do time e o técnico Roberto Fonseca fossem para o futebol paulista durante o campeonato estadual. Mas apesar do foco estar todo voltado para a Série B, o Tubarão sabe que a Copa do Brasil vale muito dentro e fora de campo.

+ Leia mais: Confira o provável time do Tricolor pro jogo com o Tuba

Uma classificação na partida das 19h15 contra o Paraná, no estádio do Café, vale R$ 1,4 milhão para quem seguir na competição. É um valor que ajuda muito no início da temporada – e, se comparado com o que o LEC recebe de direitos de transmissão na Segundona, é ainda mais atrativo. Em um único jogo, o clube pode ganhar 25% do que está previsto para toda a segunda divisão.

Por isso o Londrina se preparou muito para o jogo diante do Tricolor. Sem jogar desde a última rodada do turno da Taça Barcímio Sicupira (justamente diante do Paraná), o técnico Alemão aproveitou para treinar e testar opções. No sábado, a equipe realizou um jogo-treino diante do Paranavaí, e o treinador usou todo o elenco, buscando possibilidades de surpreender o adversário.

+ Leia mais: Metade dos centros de treinamento do Paraná não tem certificado dos bombeiros

E a esperança do Tubarão é a volta do atacante Luidy. Ele recuperou-se de uma lesão na coxa que o tirou de quatro partidas do Campeonato Paranaense, e também da estreia na Copa do Brasil, na vitória sobre o Americano por 2×1. Contratado junto ao Corinthians, Luidy veio como uma das referências para o time jovem do primeiro semestre, mas ainda não conseguiu ter uma sequência de partidas.

Alemão estuda mais alterações. Augusto, que jogou nos últimos dois jogos da equipe, deve ser titular na zaga ao lado de Silvio. “Graças a Deus eu consegui a volta ao time, mas com total consciência de que quem entrar ali vai saber lidar com a situação”, disse o defensor. E no meio-campo, Marcinho e a revelação Luquinha podem ganhar a posição de Mateus Bianqui.

Veja também: Tricolor viaja pra decisão sem Maicosuel

Os destaques da equipe aliam experiência e juventude. O experiente é Germano, volante que simboliza toda a recuperação do clube – que chegou a estar na segunda divisão estadual nesta década. E o jovem é Anderson Oliveira, formado na base do LEC e que fez um golaço diante do Americano.

A certeza de todos no Tubarão é que a partida será mais difícil que o confronto pela Taça Barcímio Sicupira. “Vai ser um jogo muito difícil contra o Paraná, a equipe deles é bem qualificada, mas vamos procurar fazer um bom jogo. A nossa equipe está bem preparada, o professor Alemão conversou com a gente para entrar focado e não dar brecha para eles”, resumiu Marcinho.

Estratégia

Além do técnico Roberto Fonseca, o Londrina emprestou para o Novorizontino o goleiro Vágner, o lateral-direito Lucas Ramón e os atacantes Felipe Marques, Carlos Henrique e Paulinho Moccelin. Todos devem voltar para a Série B. E o Tubarão ainda conta com a volta de Dagoberto, que vinculou seu acerto com o aumento do número de sócios-torcedores.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!