O Real Madrid anunciou nesta terça-feira a renovação do contrato de José Mourinho. Responsável por levar o time ao título espanhol, o vitorioso técnico português ampliou seu vínculo, que se encerraria em 2014, até 30 de junho de 2016.

O acerto põe fim aos rumores sobre o futuro do treinador. Especulava-se que Mourinho poderia deixar o clube ao fim da temporada europeia caso não fosse atendido em suas exigências. O treinador já manifestara interesse em voltar ao futebol inglês, onde foi campeão no comando do Chelsea.

A diretoria do Real, contudo, evitou a saída precoce do técnico português ao propor um vínculo mais prolongado do que o previsto, até 2016. Nenhuma das partes revelou informações sobre a negociação, mas especula-se que Mourinho tenha ganhado mais poder dentro do clube, além de um aumento salarial, que alcançaria também os outros integrantes da comissão técnica.

A renovação premia o bom desempenho do Real Madrid na temporada. O time se sagrou campeão espanhol, encerrando o domínio do tricampeão Barcelona, com uma sequência de marcas históricas. O Real bateu o recorde de gols (121), pontos (100) e vitórias (32) e uma única edição do campeonato. Com o título, Mourinho aumentou sua coleção de troféus nacionais. Antes, se sagrara campeão italiano (Inter de Milão), português (Porto) e inglês (Chelsea).

Foi o segundo título conquistado por Mourinho no clube. Em sua primeira temporada, em 2010/2011, faturou a Copa do Rei em 2011, encerrando um jejum de 18 anos. Na ocasião, bateu o arquirrival Barcelona na decisão. No entanto, acabou sendo superado pelo time catalão na final da Supercopa no início da temporada seguinte.

Na Liga dos Campeões, principal competição europeia, Mourinho levou o Real às semifinais nas duas temporadas. Na primeira, caiu novamente diante do Barcelona. Neste ano, foi eliminado pelo Bayern de Munique, que acabou ficando com o vice-campeonato.