A temporada da NBA ficou mais perto de ser cancelada nesta segunda-feira. Após reunião, os jogadores rejeitaram a última proposta dos dirigentes, mantiveram a paralisação na liga norte-americana de basquete profissional e ameaçaram entrar na Justiça para resolver a disputa com os donos das franquias.

“Nós estamos preparados para entrar com uma ação antitruste contra a NBA”, afirmou Billy Hunter, diretor executivo do sindicato dos jogadores. “Este é o melhor caminho para os jogadores alcançarem seus objetivos”, justificou Hunter.

De acordo com Hunter, os jogadores não estão preparados para aceitar o ultimato do comissário da NBA, David Stern. Na avaliação dos atletas, a proposta é “extremamente injusta”. Os jogadores ainda indicaram que devem dissolver o sindicato, o que atrapalharia ainda mais as negociações.

Cercado de vários jogadores, como Kobe Bryant e Carmelo Anthony, o presidente do sindicato Derek Fisher garantiu que a decisão de não aceitar o ultimato dos dirigentes foi unânime. “Esta é a melhor decisão para os jogadores. Acreditamos que não devemos apenas obter um acordo para o momento, mas para todo o grupo de jogadores que entrarão nesta liga nas próximas décadas”, declarou Fisher.

A última proposta dos donos das franquias foi anunciada na quinta-feira. Stern afirmava que era a melhor oferta possível dos dirigentes. O ultimato previa a divisão de lucros em 50% para cada parte, jogadores e dirigentes, e uma temporada com 72 jogos, a começar a partir do dia 15 de dezembro – normalmente cada equipe disputa 82 partidas.

Os termos, contudo, já estariam acertados entre as partes, segundo a imprensa norte-americana. O principal entrave nas negociações atingiria questões menores, como o sistema de teto salarial.

A NBA está paralisada desde o dia 1.º de julho, quando venceu o antigo acordo com os jogadores e a liga exigiu mudanças para renová-lo. Por conta do impasse, o primeiro mês do campeonato 2011/2012, que começaria no dia 1.º de novembro, e metade do segundo, em dezembro, já foram cancelados. Com a nova recusa do sindicato dos jogadores, o futuro da temporada ficou ainda mais imprevisível.