Apesar de um desempenho ruim no primeiro tempo contra o Al Hilal, o técnico Jorge Jesus elogiou o comportamento do Flamengo na etapa final para virar o jogo e se garantir na final do Mundial de Clubes da Fifa. Para o treinador, o confronto deste sábado, diante do vencedor da partida entre Liverpool e Monterrey, que se enfrentam nesta quarta-feira, será o mais importante de sua trajetória no futebol.

“Já estamos em um patamar superior, como diz o Bruno Henrique. Claro que é o jogo mais importante da minha carreira, assim como do outro treinador que for à final. É a cereja em cima do bolo na temporada que o Flamengo fez. É a final mais importante da minha carreira”, afirmou o português, em entrevista coletiva após o triunfo por 3 a 1, nesta terça-feira, ao lado do atacante que foi eleito o melhor da semifinal.

“Quando você tem uma equipe que passa por duas situações em que precisa mudar o resultado e acredita até o fim, é importante”, acrescentou Jorge Jesus, lembrando da virada na decisão da Libertadores, quando marcou dois gols nos minutos finais e derrotou o River Plate, da Argentina, para ficar com o título.

Jorge Jesus revelou que foi necessário conversar com os jogadores no intervalo para ter uma resposta positiva. Segundo ele, havia um nervosismo exacerbado. “Os outros times também jogam. Para além da nossa condição técnica e tática, somos uma equipe mentalmente e fisicamente forte. Obrigamos o outro time a correr muito atrás da bola. Conheço esta equipe tão bem quanto a nossa e disse aos jogadores. Eles iriam se desconcentrar, não teriam o segundo tempo como o primeiro. Eu acalmei os jogadores, que emocionalmente não estavam com foco no jogo. E precisávamos na segunda parte, não vou dizer o que, mas disse à equipe que melhorasse e ela melhorou”, discursou.

“O Al Hilal foi muito melhor nos primeiros 30 minutos. Depois, conseguimos subir o nível de três jogadores na qualidade individual. E o jogo foi transformado com uma superioridade muito maior do Flamengo na segunda parte”, completou.

O treinador admitiu que foi necessário também corrigir um problema de posicionamento, já que, segundo ele, o lado esquerdo estava sofrendo bastante para deter os avanços da equipe da Arábia Saudita. “Nosso lado esquerdo passou a ser vulnerável quando o Al Hilal criou superioridade numérica e criou espaços. Tivemos de alterar posicionamento para que a equipe fosse mais equilibrada. Quem não é equilibrado defensivamente, não sabe atacar”, analisou.

Em relação ao adversário da final, Jorge Jesus desconversou. “Não vou escolher. Quando você chega no Mundial, todas as equipes são fortes. Portanto, vamos nos preparar para o que acontecer. Nunca debruçamos análise tática sobre o Liverpool, porque tínhamos o Al Hilal antes”, afirmou o técnico.

Após alguma insistência, o treinador concordou que o Liverpool é favorito em uma hipotética decisão com o Flamengo. “Claro que é favorito, sem dúvida nenhuma, mas vamos com respeito. Quando chegamos pensávamos em ser campeões do mundo, agora mais ainda”, avisou Jorge Jesus.