Foto: Orlando Kissner/Tribuna
Jefferson comemorando o gol
contra o Icasa: ?Sempre vou defender a minha cor?.

O jogo do Coritiba contra o Icasa, na última quarta-feira, foi um momento especial para Jefferson. Além de marcar dois gols na vitória alviverde por 3 a 1, o atacante aproveitou a oportunidade para mostrar sua insatisfação com os atos de racismo que vêm se repetindo no futebol mundial.

Os gols que ajudaram o Coxa a garantir vaga na 2.ª fase da Copa do Brasil serviram como um cartão de apresentação de Jefferson para a torcida alviverde. Até então, o jogador tinha a apenas um gol, anotado a seu favor, que na realidade foi contra do volante Cláudio Pitbull, no empate em 1 a 1 com o Roma, pelo Paranaense.

Na noite de quarta-feira, Jefferson desencantou. Aos 34 minutos do 1º tempo, ele desviou de calcanhar um cruzamento do zagueiro Índio, abrindo o placar no Couto Pereira. Na comemoração, correu em direção à torcida, com os punhos cruzados sobre a cabeça. ?Foi um gesto contra o racismo. Sou negro, adoro ser negro e sempre vou defender a minha cor?, explicou.

A atitude de Jefferson é um protesto contra uma crise enfrentada por todo o mundo do futebol. ?O racismo existe e a gente está vendo. Quando um ícone do futebol brasileiro como o Antônio Carlos toma uma atitude lamentável dessas, a gente fica preocupado?, alertou o atacante, se referindo ao caso mais recente em gramados brasileiros. O zagueiro do Juventude, que já defendeu grandes clubes como Palmeiras e Santos e passou também pela seleção brasileira, foi suspenso por 60 dias após ofender com gestos racistas o volante Jeovânio, do Grêmio.

Jefferson considera a atitude inexplicável. ?Tenho certeza que todo o branco que tem uma alma boa, com caráter e dignidade, também não se vê diferente de um negro. Somos todos filhos de Jesus, e o que pudermos fazer contra o racismo, devemos fazer?, discursou o atacante, que ainda fez o segundo gol da equipe do Alto da Glória.

A atitude de Jefferson foi elogiada por seus companheiros de clube.

?É lamentável que ainda exista esse tipo de preconceito, principalmente aqui no Brasil. Já sofri com isso, mas em Israel. O Jefferson tem nosso apoio?, disse o zagueiro Índio, que defendeu por três temporadas o Beitar Jerusalém.

Para Arthur, os atletas têm que se unir para enfrentar o problema. ?O Jefferson está certo. Todos os jogadores têm que estar numa corrente muito grande para acabar com isso. Assim, quem tem a perder é o futebol, por causa de seres humanos que ficam com essa burrice?, disparou o goleiro coxa-branca.

Jefferson não poderá manter a campanha nem confirmar a boa fase na partida do próximo domingo, contra o J. Malucelli. Assim como o atacante Eanes e o lateral Ricardinho, ele está suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Estevam agora esquenta a cabeça

O técnico Estevam Soares terá que quebrar a cabeça para definir o time coxa-branca que enfrentará o J. Malucelli, no domingo. O Coritiba tem três desfalques para a primeira partida das quartas-de-final do Estadual. Suspensos pelo terceiro cartão amarelo, os atacantes Jefferson e Eanes e o lateral-esquerdo Ricardinho desfalcam a equipe alviverde no Pinheirão.

Hoje à tarde, Estevam comanda um coletivo no Couto Pereira e definirá quem formará a nova dupla de ataque coxa-branca. Anderson Gomes deve ser confirmado no lugar de Eanes, mas o substituto de Jefferson continua indefinido. Ludemar seria a opção imediata, mas além do péssimo momento com a torcida, que não cansa de vaiá-lo, o atacante ganhou mais um problema ontem. Ele deixou o treino no CT da Graciosa reclamando de dores na coxa e pode ficar de fora, abrindo espaço para a estréia de Vinícius na temporada.

O substituto de Ricardinho já está confirmado. O polivalente Julinho, que atua no meio-campo e na lateral-esquerda, ganha mais uma chance no time titular.

Outra expectativa é sobre a situação de Renan. O meia estava afastado do time para um tratamento de fortalecimento muscular, mas ontem participou normalmente do treino com os jogadores que não atuaram na vitória sobre o Icasa.