A recriação do Seattle Supersonics está cada vez mais próxima de se tornar realidade. Nesta segunda-feira, a penúltima e mais importante etapa foi vencida, com a família Maloof, dona do Sacramento Kings, tomando a decisão de vender 65% da franquia para o grupo ligado ao investidor Chris Hansen, que pretende levar o time para Seattle. Agora, para confirmar a mudança de cidade (e de nome) só falta o Conselho de Administração da NBA, formado pelos donos de franquias, dar o aval.

As negociações para a transferência já aconteciam há três anos, mas só agora foram seladas: US$ 525 milhões por 65% da franquia. Com isso, os Maloof deixam o comando para Hansen, que ainda pretende negociar com os donos da porcentagem restante para ficar com 100% do time.

“Nós sempre valorizamos nossa franquia dos Kings e admiramos os torcedores e membros da equipe. Gostaríamos também de agradecer a Chris Hansen por seu profissionalismo durante a nossa negociação. Chris vai ser um grande administrador para a franquia, escreveu Gavin Maloof, em nota, falando em nome de toda a sua família.

O prefeito de Sacramento chegou a fazer uma proposta para manter o time na cidade, mas não conseguiu convencer a família Maloof. Kevin Johnson, que foi armador na NBA, lamentou que a franquia vá mudar de casa. “Sacramento provou que é um mercado forte para a NBA. Em 19 das últimas 27 temporadas tivemos ficamos entre os 20 mercados mais fortes, sediando uma mais longas franquia da história da NBA”, apontou o prefeito.

A ideia de Hansen, um empresário de Seattle baseado em San Francisco, é levar a franquia para sua cidade daqui a duas temporadas. Ele tem um acordo com o governo de Seattle (a maior cidade do estado de Washington, na costa noroeste) para construir uma arena que deverá custar US$ 490 milhões.

O ginásio ficaria no mesmo complexo que tem o Safeco Field, estádio de beisebol do Mariners, e do CenturyLink Field, casa do Seahawks, time de futebol americano, e do Sounders, que joga a MLS, liga norte-americana de futebol. Parte do dinheiro para a obra (US$ 200 milhões) viria de financiamento público e o restante seria pago pelo grupo de Hansen, que também quer achar parceiros para dividir o ginásio com uma franquia de hóquei no gelo.

O antigo Seattle SuperSonics existiu entre 1967 e 2008, quando o time foi vendido a empresários de Oklahoma City. Isso porque não houve acordo para a construção de um novo ginásio em Seattle, uma vez que a KeyArena se mostrava defasada. Na época, Seattle conseguiu convencer os novos donos da franquia a manter a marca SuperSonics em propriedade da cidade, para o caso de um novo time ser formado ali.

Já o Sacramento Kings é o único time de uma grande liga esportiva dos EUA a ter sede em Sacramento, na Califórnia. A franquia surgiu como um time amador, em Nova York, na década de 1920. Desde a criação da NBA, o time passou foi Cincinnati Royals e Kansas City Kings até a mudança para sua atual casa, em 1986. A franquia tem um único título, de 1951.