O turfe local vive uma fase monótona porque só haverá corrida no dia 7 de janeiro, mas dia-a-dia aumenta a movimentação de potros nos três trilhos cercados, no lado externo da reta de chegada. A primeira grande atração de 2005, porém, será o Grande Prêmio ACPCCP – Taça Pinheiro de Ouro, prova do grupo 3, reservada para produtos de três anos, com regulamento próprio, mas mesmo animais que não são filhos dos reprodutores credenciados, poderão participar da competição, mediante pagamento de R$ 1.050,00. Como a dotação é elevada e com garantia de pagamento, muitos potros que estão fora do regulamento poderão participar da tradicional corrida do turfe paranaense.

Os filhos dos reprodutores Thignon Lafré, Parme, New Colony, Kenético, Baligh e Fahim poderão ser inscritos, sem o pagamento da taxa que nos referimos acima.

Estão chamadas, ainda, para o dia 7 de janeiro, as Provas Especiais Ubaldo Siqueira e José Luiz Franceschi, mas para produtos de 3 e mais anos, respectivamente, em 1.600 e 1.100 metros.

Duas reuniões mensais

A promoção de apenas duas reuniões mensais, sem dúvida, não é suficiente para o desenvolvimento do turfe paranaense, mas no momento será muito difícil promoção de corridas todas as semanas, o que seria o ideal. O presidente da Comissão de Turfe, Roberto Belina, está preocupado com este problema, pois com a estréia da nova geração, o número de inscrições deverá aumentar a partir de janeiro e, no momento, embora não solucione o problema, a comissão poderia aumentar o número de páreos, o que também está na dependência de entendimento como a diretoria do Jockey Club Brasileiro.