Uma das exigências de Luiz Felipe Scolari para o time voltar a vencer na Copa é afiar a pontaria, principalmente nos chutes de fora da área. Mas, antes disso, é preciso que a seleção brasileira finalize mais a gol. Essa tem sido uma de suas principais cobranças nos treinos da equipe na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Ele direciona a ordem mais para os homens de meio-campo, uma vez que Fred é um jogador “de área” e Neymar já faz isso com naturalidade, assim como Oscar. Felipão gostaria de ver os volantes arriscarem com mais insistência.

“Às vezes eu até falo para o Murtosa (auxiliar técnico) para ele parar de treinar tanto essa finalização, com receio de comprometer os jogadores”, disse Felipão. Mas o técnico contou que não se cansa de pedir mais chutes de longe. “Eles não me atendem, então não é por falta de treinamento ou de pedidos.”

No empate com o México, Luiz Gustavo tentou agradar ao treinador. Mas fez feio. Sem marcação, chutou de fora da área, a bola ganhou curva e saiu quase na linha lateral. Depois do fiasco, o volante, que tem desempenho muito bom na proteção à zaga, não voltou a tentar o gol.

No treino da tarde de sexta-feira, Felipão ensaiou por 45 minutos triangulações que resultavam em chutes a gol, de dentro e fora da área. Somente os zagueiros não participaram da atividade na Granja Comary. Quando algum jogador errava, o técnico incentivava e pedia que caprichasse no próximo.

Já em treinos anteriores ao jogo com o México era visível a preocupação de Felipão com a falta de finalizações. Tanto que ele pediu a Murtosa que endossasse o treino específico para a maioria dos atletas.

Na verdade, o confronto com os mexicanos serviu para despertar em Felipão a necessidade de reforçar a importância de a seleção concluir algumas jogadas com chutes de longa distância e não necessariamente em lances de bola parada. Isso porque o México, que tinha dificuldades em criar na área do Brasil, finalizou pelo menos quatro vezes com perigo de fora da área.

Numa delas, Julio Cesar fez ótima defesa, na reta final do jogo. Depois, o próprio goleiro falou sobre isso. Disse que adversários com forte retranca ou com um sistema defensivo eficiente podem ser surpreendidos com a boa pontaria à distância. “Faz parte do jogo, ainda mais quando há dificuldade de entrar na área, que tentemos o gol de longe. Nosso time tem potencial para decidir assim”, avaliou Julio Cesar.

Felipão também comentou sobre o tema, referindo-se ao jogo com o México. “Todas as nossas finalizações foram de dentro da área, a gente só quer fazer gol assim”, reclamou o técnico.