Felipão está de folga neste domingo, mas certamente já pensa no time que pretende colocar em campo contra a Colômbia, em Fortaleza, para onde a seleção embarca a fim de disputar a partida das quartas de final da Copa. O Brasil não terá Luiz Gustavo, suspenso. Se quiser se adiantar aos fatos, o problema aumenta, uma que vez o elenco tem agora seis jogadores pendurados com cartão amarelo. A Fifa determina que os cartões de todas as seleções sejam anulados a partir da semifinal, mas, se o atleta pendurado nas quartas receber a segunda advertência, terá de cumprir suspensão.

Para a partida na Arena Castelão, sexta-feira, contra mais um rival sul-americano, os colombianos, a seleção terá de jogar, portanto, sem seu ponto de equilíbrio: Luiz Gustavo. O volante da fala grossa e das poucas risadas cumprirá suspensão automática, abrindo assim brecha no meio de campo. “Infelizmente, tomei o segundo cartão, mas conseguimos o nosso objetivo e quem entrar vai fazer da melhor forma. É difícil evitar o cartão, ainda mais na minha posição. Não tem como pensar duas vezes. Tem de ter a definição e fazer o que vem na cabeça. Infelizmente, vou ficar fora, mas pude ajudar o time a dar mais um passo.”

Candidatos para o lugar de Luiz Gustavo não faltam ao treinador, que tem pelos menos quatro jogadores como opção e dois sistemas táticos. Na troca pura e simples de um jogador pelo outro, a melhor opção é Ramires. Dessa forma, Felipão seguraria Fernandinho para a função de primeiro volante, a mesma de Luiz Gustavo, e deixaria o jogador do Chelsea como terceiro homem do lado direito. Paulinho e Hernanes correm por fora. Paulinho era titular até o jogo com Camarões, mas perdeu seu lugar por causa de más atuações.

Fernandinho já se adiantou ao chefe e disse que faz a função sem problemas. “Acho que o Felipão vai analisar as opções que tem. Eu sou capaz de atuar como primeiro volante, mas ele pode usar um zagueiro também”, apontou.

Felipão também chegou a afirmar na Granja Comary que o Brasil, além das peças de reposição à altura, também tem mais dois esquemas táticos, que mudariam a maneira de a seleção se posicionar. Um deles poder ser usado contra a Colômbia. Sem Luiz Gustavo, o time poderia ter mais um zagueiro, que ficaria à frente da dupla de defensores. As cartas de Felipão para isso são duas, e nem precisaria embaralhar tanto. David Luiz poderia ser deslocado e Dante assumiria seu posto ao lado de Thiago Silva. Henrique corre por fora e ele mesmo tem chances de ser esse volante improvisado com características defensivas.

O elenco se reapresenta nesta segunda-feira para o almoço, após folga. No período da tarde, os jogadores e Felipão retomam os trabalhos pensando na Colômbia. A seleção embarca para Fortaleza na quarta-feira. Até lá, o treinador já terá feito sua escolha.