O líder do ranking mundial, Novak Djokovic confirmou o favoritismo diante do croata Marin Cilic, venceu por 3 sets a 0, com triplo 6/4, e avançou com tranquilidade às semifinais de Wimbledon. Diante de um grande “freguês”, o sérvio conseguiu sua 13.ª vitória em 13 partidas entre eles e, com isso, segue vivo na briga pelo seu terceiro título no Grand Slam inglês – já venceu lá em 2011 e 2014.

Djokovic vinha de uma surpreendente dificuldade diante do sul-africano Kevin Anderson, a quem venceu depois de três horas de partida, em cinco sets, nas oitavas de final. Mas com a freguesia de Cilic, teve pela frente o adversário ideal para retomar a boa fase e passar facilmente às semifinais.

Em apenas 1h48min de partida, o sérvio líder do ranking mundial não deu chances para o adversário e levou o jogo como quis, com golpes potentes do fundo da quadra e subidas seguras à rede. Mesmo diante do novo cabeça de chave da competição, campeão do US Open do ano passado.

Djokovic nem precisou ser brilhante para passar por Cilic, apenas impôs seu tênis e jogou de maneira segura ao longo dos cinco sets. O sérvio sequer ofereceu uma oportunidade de quebra ao croata e, por sua vez, aproveitou três dos cinco break points que teve na partida para arrancar para o triunfo.

Agora, Djokovic espera para conhecer seu adversário nas semifinais. Ele sairá do confronto entre o suíço Stan Wawrinka, quarto cabeça de chave da competição e que venceu o sérvio na final de Roland Garros este ano, e o francês Richard Gasquete, 21.º favorito da chave.

Diante de ambos adversários, Djokovic leva ampla vantagem. Contra Wawrinka, são 17 vitórias em 21 confrontos, enquanto diante de Gasquet o sérvio venceu 11 dos 12 duelos. Na outra semifinal, se enfrentarão o suíço Roger Federer e o britânico Andy Murray.