A última seletiva olímpica da seleção brasileira de judô renovou boa parte da equipe masculina, neste sábado, no Rio. Atletas como Leandro Cunha, Renan Nunes, Hugo Pessanha e Bruno Mendonça não serão convocados para eventos de primeiro nível em 2015 e, por conta do ranking mundial, terão vida bastante complicada para tentar ir aos Jogos do Rio/2016. No feminino, Katherine Campos e Mariana Barros estão entre as que ficam de fora da seleção.

Pelos critérios da CBJ, medalhistas olímpicos e judocas que ocupam a zona de classificação olímpica no ranking mundial (até o 22º no masculino e até 14º no feminino) se garantem na seleção de um ano para o outro. As demais vagas na seleção (são três por categoria) são definidas pela seletiva.

O ministério do Esporte paga Bolsa Pódio a 34 atletas do judô, todos, no entender da pasta, candidatos a medalha nos Jogos de 2016. Desses, 10 estão fora da seleção brasileira: Nádia Merli, Mariana Barros, Luiz Revite, Raquel Silva, Katherine Campos, Eleudis Valentim, Renan Nunes, Bruno Mendonça, Leandro Cunha e Diego Santos. Por lesão, os três primeiros da lista não lutaram no Rio.

No masculino, apenas 10 vagas estavam em jogo na seletiva e apenas cinco delas ficaram com atletas que já estavam na seleção. Na categoria até 60kg, que já tem Felipe Kitadai e Eric Takabatake, venceu Phelipe Pelim.

Outra categoria com dois atletas mantidos pelo ranking (Rafael Silva e David Moura), a peso pesado manteve Walter Santos como terceiro homem da seleção. Gabriel Souza, que treina com Rafael, baixou de peso e garantiu a vaga nos 100kg, assim como Rafael Buzzacarini. Luciano Correa é o titular. João Gabriel Schittler tentou voltar à seleção, mas ficou em terceiro.

Bruno Mendonça, que disputou os Jogos Olímpicos de Londres/2012 na até 73kg, subiu de categoria, para a até 81kg, e acabou fora da seleção. Felipe Costa ganhou a seletiva e se junta a Leandro Guilheiro e Victor Penalber. Na até 73kg, Igor Pereira, mais uma cria de Flávio Canto no Instituto Reação, ganhou a única vaga em jogo – Alex Pombo e Marcelo Contini são os outros atletas da categoria na seleção.

Eduardo Bettoni renovou a credencial nos 90kg, agora junto de Gustavo Assis, que subiu de categoria – estava na até 81kg. Tiago Camilo fica na seleção pelo ranking. Já na até 66kg, Luiz Revite e Vinicius Leal nem lutaram. Suas antigas vagas agora são de Gabriel Pinheiro e Ricardo Santos Jr.

FEMININO – Em apenas duas categorias as titulares de 2014 se mantém para 2015. Na até 48kg, Sarah Menezes segue tendo a companhia das jovens Nathalia Brígida e Gabriela Chibana. Na até 78kg, Samanta Soares e Renata Januário seguem fazendo companhia a Mayra Aguiar.

Na categoria até 63kg, Mariana Barros, número 26 do ranking mundial, não lutou a seletiva e por isso fica fora da seleção. A chave montada pela CBJ colocou as outras duas brasileiras do top40 do mundo para se enfrentarem na primeira luta. Atleta olímpica, Katherine Campos perdeu para Mariana Silva e também deu adeus à seleção. Mariana Silva e as novatas Veronice Chagas e Danielle Oliveira compõem a equipe.

Maria Portela e Bárbara Timo continuam na categoria até 70kg, mas Nadia Merli, machucada, não lutou e perdeu a posição para Giovana Silva. As outras duas atletas convocadas para a seletiva na até 57kg não se inscreveram e Tamires Crude entrou para fazer companhia na seleção a Ketleyn Quadros e Rafaela Silva.

Entre as peso pesado, Rochelle Nunes segue na seleção, agora com a jovem Sibilla Faccholli no lugar de Claudirene Cezar. Machucada, Maria Suelen Altheman se garantiu pelo ranking. Por fim, na categoria até 52kg, da titular Erika Miranda, a jovem Jessica Pereira segue na seleção, mas Raquel Silva, irmã de Rafaela Silva, acabou superada pela novata Rafaela Barbosa. Eleudis Valentim, que disputou o Mundial de 2013, no Rio, continua fora.