O Paraná Clube precisava vencer a Ponte Preta para eliminar definitivamente qualquer fantasma da Copa do Brasil. No entanto, a derrota por 2×1, na Vila Capanema, mostrou ao torcedor que o time terá enormes dificuldades para conseguir o acesso.

A derrota foi amplamente sentida e não poderia ser diferente. A Ponte Preta é um adversário direto e terminar o período pré-copa longe do topo da tabela, complica demais o trabalho do técnico Claudinei Oliveira e dos jogadores. “A derrota não estava nos planos e isto é duro demais. Pecamos demais e deixamos o adversário ser superior e virar o resultado”, disse o volante Edson Sitta.

O revés na Vila Capanema foi o segundo na Série B . A campanha em casa é fraca, quatro pontos conquistados em doze disputados. “Faltou paciência e perdemos a oportunidade de tocar a bola. O resultado foi péssimo e falar agora é complicado. É preciso qualificar o elenco e ter mais opções e, infelizmente, está difícil contratar ”, ressaltou o chateado Claudinei Oliveira.

A situação financeira do clube foi novamente alvo de tema após a derrota. O goleiro Marcos, mesmo fazendo grandes defesas, lembrou do momento difícil fora das quatro linhas. “Os problemas atrapalham e os jogadores têm que entender isto e temos que nos concentrar a todo momento. Vacilamos e teremos que buscar a reabilitação já na próxima rodada”, avaliou ele.

Fora de campo, os problemas financeiros aumentam a cada dia e, hoje, o dia será marcado por cobranças de jogadores junto à diretoria. Fora isto, o Paraná estará lançando hoje, as novas camisas para a temporada 2014/2015. O lançamento acontece no Museu Paranaense, para convidados e imprensa.

Dentro de campo , o próximo compromisso do Paraná é na sexta-feira, diante do Oeste, às 19h30, em Itápolis.