Prestes a completarem 20 anos de duelo, Coritiba e Paraná voltam a se enfrentar em condições totalmente opostas. Outras vezes isso já aconteceu, mas enquanto o Alviverde tenta antecipar matematicamente a classificação para a próxima fase e encaminhar a conquista do 1.º lugar, o Tricolor simplesmente luta para não entrar na zona do rebaixamento e sair da crise que se instalou sobre a Vila Capanema. Não bastasse isso, as duas equipes se enfrentam pela segunda vez em Paranaguá, já que não houve tempo hábil para a homologação do Couto Pereira. A partida começa às 19h30 no Caranguejão.

E assim que o árbitro Héber Roberto Lopes soprar o apito, o amplo favoritismo do Coxa será colocado à prova. Até aqui, nas oito primeiras rodadas, somente na última delas é que um clube tirou pontos do time do Alto da Glória. O Paranavaí conseguiu empatar por 1 a 1, o que ainda mantém a equipe do técnico Ney Franco invicta na competição. No entanto, nem mesmo isso faz com que o treinador do Coritiba aposte no próprio retrospecto tão favorável. “Esse jogo é para tirar do contexto do campeonato, independente de nós estarmos na liderança e o Paraná lutando para ficar entre os oito primeiros”, avalia Ney.

Allan Costa Pinto
Marcelo Oliveira está por um fio e se não vencer hoje…

Se Ney mantém a cautela e pensa assim, o atacante Marcelo Toscano também se agarra nesse pensamento para que a Gralha ganhe novo fôlego dentro do Estadual. “Vamos enfrentar o Coritiba com o pensamento somente na vitória. Sabemos que é um jogo difícil, mas temos condição de vencer. Todo o grupo de jogadores está bem concentrado na partida”, avisa o artilheiro tricolor, que, por sinal, está devendo nas últimas partidas. Justamente quando ele não marcou, o time paranista parou de vencer e entrou em crise. O técnico Marcelo Oliveira chegou a balançar após o empate contra o Operário, mas se mantém no cargo por um fio.

Por isso, se vencer, o Paraná dá uma respirada na competição e volta a pensar na classificação. Do contrário, ZR! Já o Coritiba quer vencer de qualquer jeito para não ver o Atlético no retrovisor, já que o rival da Baixada poderia baixar a distância para apenas dois pontos. Assim, com esses ingredientes as equipes pisam no gramado do Gigante do Itiberê e repetem o que já fizeram em 1996 quando empataram por 1 a 1 no Torneio de Verão disputado na Estradinha. Depois disso, porém, as equipes se enfrentaram em março de 2005 em Maringá. Na época, o Couto estava interditado para a troca de gramado e o Coxa ganhou por 3 a 1.