Pela quarta vez consecutiva, o Coritiba deixou o campo com uma derrota. Resultados que empurraram mais uma vez o time para a zona de rebaixamento e só não teve sua situação piorada na classificação por conta dos resultados da rodada. Depois de um começo de segundo turno muito positivo, que contou inclusive com uma série de sete jogos de invencibilidade, junto com duas vitorias no final do primeiro turno, o Coxa caiu de produção. Tanto que nestas quatro derrotas seguidas, a equipe que tinha a segunda melhor defesa do Brasileirão, sofreu 11 gols.

Para o goleiro Wilson, que apesar de uma leve falha no segundo gol da Ponte Preta, foi responsável por grandes defesas que impediram um placar mais elástico, o que está faltando para o Alviverde é mais tranquilidade, principalmente pelo fato de ter que correr atrás do marcador. “São jogos complicados, contra boas equipes, saímos atrás no placar e acabamos nos expondo. Foi assim hoje novamente. Temos que ter mais tranquilidade, nos expor menos e ter inteligência para buscar o gol”, avaliou ele.

Opinião semelhante à do técnico Ney Franco, que acredita que, além de faltar a tranquilidade apontada, não está tendo sorte nas finalizações. “Nestes últimos jogos fizemos um bom primeiro tempo, mas por alguns detalhes no segundo tempo tivemos que correr alguns riscos abrindo mais a equipe em busca do resultado. Até criamos algumas oportunidades, mas a bola teima em não entrar. Nesse momento temos que passar por cima disso e passar tranquilidade para a equipe. Até mesmo para sair na frente do marcador e ter tranquilidade emocional para jogar”, analisou o treinador, que apesar de se mostrar incomodado, preferiu não se manifestar sobre os erros de arbitragem.

“Sobre erros de arbitragem, tem coisas no futebol que a gente controla, que é preparar a equipe, definir quem joga, as substituições. Mas as outras situações não temos domínio”, afirmou ele, lembrando também dos erros na derrota por 3×1 para o Joinville.

Jogos em casa

Depois de duas partidas fora de casa, o Coritiba tem a oportunidade de se recuperar diante da torcida. Os próximos dois jogos, contra São Paulo e Figueirense, serão no Couto Pereira. Apesar de não ter um bom aproveitamento diante da torcida, com apenas cinco vitórias, o discurso é de fazer valer o mando de campo.

“Temos duas chances dentro de casa e não podemos pensar em outro resultado que não sejam os seis pontos”, disse o goleiro Wilson. Para isto, a semana cheia para trabalhar antes do duelo contra o tricolor paulista será essencial. “O Avaí perdeu, o Figueirense perdeu, então isso ajuda (a manter a tranquilidade). Teremos uma semana muito difícil, com cobranças, mas sabemos que temos sete jogos pela frente, sendo quatro em casa, e temos que aproveitar isso”, ressaltou ele.

Ironia

 Autor de dois gols na vitória da Ponte Preta, o atacante Alexandro ironizou a reclamação do Coritiba no lance em que abriu o placar. O jogador, que claramente usou o braço para superar Wilson, não se incomodou com repercussão. “Acho que pegou um pouquinho (no braço), mas o que vale é o gol. Manda eles reclamarem lá na Federação”.

Eleito! Leia mais do Coritiba na coluna do Massa!

Paraná Online no Facebook