Com apenas dois treinos no comando do Coritiba, Ney Franco já demonstrou que conta com o atacante Marcos Aurélio no time titular. O jogador, que teve o nome publicado ontem no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, treinou praticamente todo o tempo entre os onze iniciais saiu no fim para dar lugar a Rafhael Lucas.

Empolgado

Marcos Aurélio, que defendeu o Alviverde entre 2009 e 2011, treina com o restante do elenco desde a semana passada, mas aguardava a questão burocrática para fazer a reestreia. A expectativa é que ele esteja em campo contra o Flamengo amanhã, às 16h30, no Couto Pereira.

“O Ney Franco pediu para a gente ter tranquilidade, principalmente porque ele ainda não definiu a equipe que vai entrar em campo e fez diversas variações durante o treinamento”, despistou o atacante, que comentou sobre o retorno ao Alto da Glória. “É muito gratificante voltar para o Coritiba, time no qual construí uma história e tive uma passagem muito boa”.
Além de Marcos Aurélio, o meia Esquerdinha também está liberado para jogar, mas não esteve entre os titulares.

No treino, o zagueiro Leandro Almeida ficou de fora devido a dores musculares. Segundo o clube, ele passou por exames e é dúvida contra o Flamengo. Além disso, uma possível transferência para o Palmeiras tiraria o jogador da partida – o zagueiro já deu mostras de que pretende deixar o Alto da Glória.

Dessa forma, o Alviverde deve começar a partida com Bruno; Ivan, Luccas Claro, Leandro Silva e Henrique; Helder, Fabricio, Cáceres e Ruy; Marcos Aurélio (Rafhael Lucas) e Wellington Paulista.

Comparação com 2009

Ney Franco comparou o atual momento do clube, 17º colocado no Brasileiro, com o cenário que encontrou em 2009, quando assumiu o time no segundo turno do Brasileirão, mas não conseguiu evitar o rebaixamento no ano do centenário. No entanto, ele vê uma pequena vantagem em relação ao atual elenco. “Naquele momento, eu cheguei no ano do centenário, com muita festa, jogadores com muitos compromissos fora de campo. O próprio elenco estava rachado. Conseguimos chegar e fechar o grupo. O segundo turno foi com qualidade, mas não o suficiente”, relembrou o treinador, que vê um grupo comprometido.

“Por ter passado por essa experiência, eu sei que hoje está diferente. Não está tendo ‘oba oba’. E pelo primeiro contato e as informações que encontramos, não há problema de relacionamento de um grupinho aqui e outro ali. Parece que vai ser um trabalho mais fácil nesse sentido”, completou Ney Franco, que em 2010 conduziu o Coxa ao título da Série B.

Evolução

Ney considera que evoluiu como treinador nos quatro anos e meio que esteve longe do Coritiba. Ele diz ter ideias novas, mas sem nenhuma mudança radical. “Eu entrei em alguns projetos vitoriosos e outros que não foram. Logicamente volto com mais experiência e capacidade”, destacou.

Feijão com arroz! Leia mais do Coxa na coluna do Massa!