O primeiro tempo começou morno e com as duas equipes perdidas em campo. Isso, até os 15 minutos, quando o Coritiba parece ter despertado e colocaram o Toledo em apuros dentro de casa. Esse “despertar” fez com o Alviverde tivesse pique e colocasse ritmo na partida, o que deixou claro o despreparo do Toledo.

Tanta força dos visitantes fez com que o pessoal da casa se desesperasse e começasse a jogar mais pesado. Como resultado, várias faltas. E foi, justamente, em uma cobrança de falta que o capitão Alex abriu o placar aos 21 minutos. A partir desse momento, o time do Toledo se mostrou ainda mais perdido e não foi difícil para que o Coxa dominasse a bola por mais tempo.

Outra boa oportunidade da primeira metade do confronto aconteceu aos 35 minutos, quando Patric caiu na área e Alex teve uma nova chance de balançar a rede dos donos da casa. Entretanto, ele não foi feliz e o placar não foi alterado. Ainda assim, o time da capital mostrou a que veio e foi mais forte.

Mostrando todo o desespero do Toledo, Juninho quase marca um gol contra, aos 44 minutos. Ele tentou desviar a bola, mas, a bola ficou na trave e não balançou a rede de Ney. Tentado criar uma equipe mais ofensiva, o técnico do Rogério Perrô tirou de campo Negrete e colocou Jetterson em seu lugar.

No fim das contas…

O começo do segundo tempo parecia um replay do anterior: as duas equipes perdidas em campo, até que Rafinha, aos 3 minutos mandou uma bomba no gol de Ney. Mais uma vez, o time da casa ficou desestabilizado e não conseguiu dominar a bola por muito tempo, mesmo o Coritiba não colocando mais perigo – de forma efetiva.

O grande destaque para o Toledo foi Jetterson que, mesmo desorientado, chegou várias vezes na grande área. Tentando dar maior velocidade, ambas as equipes fizeram substituições importantes. O Coxa tirou o Gil, logo depois de um cartão amarelo, e colocou Guaraci, o que não deu muito resultado. Já o Toledo colocou o veterano Irineu, de 35 anos, no lugar de Vitor Junior.

As movimentações dentro de campo foram mais competentes para o visitante, no entanto, isso não significou mais um gol. Ao contrário, Guaraci foi o retrato perfeito da confusão. Explico: o atleta alviverde foi ao chão e não percebeu que o árbitro não tinha marcado falta, aí ele pegou a bola na mão e tomou um amarelo. Leandro Almeida tomou as dores do companheiro e levou o seu.

No fim das contas, as duas equipes só conseguiram manter o resultado que já estava e , por isso, o jogo ficou morno, fazendo que a torcida do Toledo fosse embora mais cedo.