Depois de passar por dificuldades, jogar campeonato amador, Jefferson brilhou este ano atuando pelo pequeno São José de Porto Alegre e despertou o interesse do Coritiba, onde ganhou elogios do técnico Ney Franco.

“É um jogador que se sobressaiu num campeonato difícil como o do Rio Grande do Sul, artilheiro e impressionou pela mobilidade porque, embora seja um meia, dá a opção de ser um segundo atacante”, disse o treinador. Por isso, ele é o primeiro reforço para a Segundona, mas chega com contrato de três anos através de uma parceria com a LA Sports.

Paraná Online – Onde você começou?

Jefferson – Comecei novo, aos 16 anos, no São Paulo de Rio Grande onde a gente subiu o time para a primeira divisão do Gaúcho e, depois, dei uma rodada por várias equipes como o Internacional, Criciúma e acabei voltando para o São José nesse início de ano. Fizemos um bom trabalho, não conseguimos chegar às finais, mas eu consegui vir para uma equipe grande como o Coritiba.

Paraná Online – Quais as tuas características?

Jefferson – Sou meu inquieto para jogar futebol. Não costumo ficar muito parado, sou meia-atacante. No São José, comecei jogando como meia e depois passei a jogar de 9, como centroavante, mas quando você é meia não consegue ficar parado e costumava me movimentar bastante.

Paraná Online – E a ida para a Europa?

Jefferson – Tive uma passagem pela República Tcheca e foi bastante interessante. Estava vindo de categorias de base lá no São José de Cachoeira, apareceu um empresário que gostou do meu futebol e acabou me levando para o Slavia Praga. Cheguei lá, passei muito frio, não estava acostumado com neve e essas coisas, mas foi importante, um aprendizado grande que tive na minha carreira.