No ano passado, Edson Bastos se machucou, passou algumas semanas em tratamento e não conseguiu voltar mais ao time porque Vanderlei simplesmente “fechou’ o gol. Agora, a situação se inverte.

O titular ficará, pelo menos, duas semanas afastado para tratar de lesão muscular e o reserva ganha a chance de provar que pode voltar a ser o número 1 não só nas costas, mas também o primeiro da escalação alviverde daqui para frente. Será que dá? O técnico René Simões avisa que só depende do guapo, que garante vir trabalhando para reconquistar a titularidade.

“Eu também saí por uma situação assim de lesão. Lógico que a gente não torce para que um profissional saia dessa forma, mas eu estou preparado, venho trabalhando e, acima de tudo, esperei meu momento, respeitei o companheiro. Isso é importante até porque quando eu estava jogando ele respeitou e soube esperar o momento dele”, analisa Edson.

O camisa 1 assume a posição de Vanderlei, que é o camisa 12, que está com estiramento muscular e fará tratamento. A situação é semelhante ao ano passado quando os papéis ficaram invertidos e Edson assistiu o substituto fazer grandes jogos.

“Eu continuei trabalhando e meu momento apareceu novamente. Espero, com a sequência de jogos, readquirir a confiança e o ritmo. E também conseguir uma boa apresentação e, novamente, me manter como titular da equipe”, avalia.

Mas você está preparado? “Lógico que quando você joga fora de casa teoricamente o goleiro é mais exigido e é aí que você mostra se está preparado ou não. O importante é que o grupo está ciente da importância desse jogo. É uma partida decisiva porque vamos ter dois jogos fora de casa e precisamos pontuar”, destaca.

O último jogo dele foi contra o Santo André, no dia 16 de maio. Chance para agarrar a condição de titular, o goleiro vai ter e o treinador usa o zagueiro Demerson como exemplo.

“O Demerson não tinha o lastro que tem o Edson e teve a mesma chance que teve o Vanderlei, que agarrou e não largou. Se ele for muito bem, claro que tem a chance e até merece porque é um jogador que tem sido um profissional exemplar”, avisa René.

Para o comandante alviverde, Edson pode ser mais um líder em campo. “É um jogador que fala mais que o Vanderlei, bem mais que o Vanderlei e vamos ver o quanto isso pode ajudar”, finaliza.