Rodrigão desembarcou no Couto Pereira com incumbência de ser o homem-gol do Coritiba, após ter conquistado o acesso pra Série A com a camisa do Avaí no ano passado. E o cara não decepcionou. Já no Campeonato Paranaense, o camisa 9 terminou como artilheiro, com sete gols marcados.

Na sequência, veio a Série B e o centroavante seguiu inspirado. Era um gol atrás do outro. Se a bola caía no pé ou na cabeça de Rodrigão, era rede. Em 18 rodadas da competição, o atacante já havia marcado 11 vezes. Aí veio o jejum. Foram 11 partidas sem desencantar e as críticas começaram a aparecer. A forma física passava a incomodar e a relação com companheiros de grupo e comissão técnica fervia.

+ Leia mais: Permanência de Jorginho no Coritiba depende de ajustes no salário

Não deu outra. Por não aceitar o banco de reservas, Rodrigão acabou sendo dispensado pelo Coxa e terminou a sua melhor temporada na carreira de forma negativa. Porém, não tem como não apontar o artilheiro como um dos grandes destaques na campanha do acesso.

Além dele, outros nomes ganharam peso com o decorrer da competição. O zagueiro Sabino, por exemplo. Ele chegou ao Coxa no início do ano e virou titular absoluto na Série B, sendo importante até lá na frente, com quatro gols marcados.

Ainda no sistema defensivo, o que falar sobre o goleiro Alex Muralha? Marcado por falhas no Flamengo, ele chegou de empréstimo ao Coxa ainda no Paranaense, após período no Japão, e ainda desbancou um ídolo da torcida – tanto que Wilson até se transferiu para o Atlético-MG.

Voltamos então ao campo ofensivo. De um lado, Rafinha. Do outro, Robson. Os dois chegaram ao clube já com o ‘bonde andando’, mas deram o toque de experiência tanto dentro como fora de campo. Rafinha não foi o mesmo daquela sua primeira passagem pelo Coxa. Porém, o camisa 7 deu o peso que o Verdão precisava para subir.

Já Robson conseguiu ser ainda mais importante. Com oito gols em 20 partidas, o atacante mostrou também que acesso é com ele mesmo, já que havia feito bonito com a camisa do rival Paraná há dois anos. Resta saber agora se essas importantes peças continuarão no clube em 2020.

Rafinha tem contrato até 2021 e certamente deve ficar pra encerrar sua carreira no clube. Já Alex Muralha, Sabino e Robson não possuem vínculo para o ano que vem.

+ Mais do Coxa:

+ Samir Namur promete elenco fortalecido em 2020
+ Jogadores do Coritiba provocam Paraná e Jenison