Em meio a uma profunda crise financeira, o Coritiba segue sua via crucis no Brasileirão. A vitória sobre o seu principal rival não foi suficiente para tirar o clube da lanterna da competição. O 1×0 frente ao Atlético – com direito a golaço de Hélder – é encarado como o ponto de partida de uma arrancada capaz de livrar o time do rebaixamento. Sem tempo para curtir o resultado, o Verdão já mira uma nova decisão, quarta-feira, às 19h30, mais uma vez no Couto Pereira, diante de outro concorrente direto pela sobrevivência na Série A. A bola da vez é o Criciúma.

O técnico Marquinhos Santos não economizou nos elogios ao profissionalismo do grupo e preferiu não comentar a faixa carregada pelos atletas, expondo os três meses de salários atrasados e as promessas não cumpridas pelo presidente Vilson Ribeiro de Andrade. “Minha função é treinar o time. E posso assegurar que no dia a dia tem sobrado dedicação. O grupo está focado nessa missão de salvar o clube do descenso”, afirmou Marquinhos. Com a vitória, o desempenho do Coxa, em casa, sob a direção do treinador, subiu para 66,67%. Número expressivo e que sustenta a esperança do torcedor coxa-branca.

“Essa sinergia entre torcida e time é fundamental. Neste clássico, pela primeira vez, desde o meu retorno, vi o estádio cheio. O apoio, do início ao fim, é uma arma que temos para atingirmos o nosso objetivo”, destacou Marquinhos Santos. Ele fez questão de destacar a atuação de Alex, no seu último Atletiba como jogador de futebol. “É uma pena que tenha sido o último. Ele merecia um grande jogo e nos fechamos em torno de uma vitória, sempre com uma postura ofensiva, como deve ser”, comentou o treinador alviverde.

Nas próximas quatro rodadas, o Coritiba encara clubes que ainda estão ameaçados pelo rebaixamento, com direito a duas decisões em casa, contra Criciúma e Botafogo, ‘companheiros’ de ZR. Os outros jogos, fora, serão frente a Goiás e Figueirense. “Fizemos um pacto. Vencer os quatro jogos que temos em casa, em seis rodadas. O primeiro passo foi dado. O gol foi meu, mas a vitória foi de todos, foi do grupo”, afirmou Hélder, que marcou seu segundo gol com a camisa coxa. Para o jogador, o fato de o time não ter saído da lanterna, não tem peso, neste momento. “Encurtamos a distância para alguns rivais. Está tudo muito embolado e só vamos conquistar alguma tranquilidade com uma sequência de bons resultados”, arrematou.