Com o supermando garantido, bem na Copa do Brasil e precisando de apoio na Segundona, que começa em maio, o Coritiba acena com oito jogos no Couto Pereira para chamar o torcedor para dentro do clube, se associando. Com dez mil sócios no momento, o Alviverde quer chegar até 12 mil no final do mês que vem.

Essa é a fórmula que o clube encontrou para “equilibrar as contas”. Até aqui na temporada, o clube só acumula prejuízos com os pequenos públicos presentes nos jogos realizados na Vila Capanema, Caranguejão e no próprio Alto da Glória.

“Os associados são uma das três ou quatro fontes de receita maiores do clube. Temos a receita da televisão, do patrocínio e precisamos dos sócios e é isso que o associado do Coritiba precisa entender, que o torcedor do Coritiba precisa entender. Precisamos ter essa renda fixa e garantida para podermos fazer um planejamento e poder ter a certeza que no final de cada mês os compromissos serão honrados”, aponta Carlos Zanetti, diretor de patrimônio do Coxa.

Na matemática dele, se associar é mais vantajoso para o torcedor que quer acompanhar o clube. “Por isso a gente insiste em dizer que os R$ 50 não são caro. Vamos ter oito jogos por R$ 100 e é relativamente barato este preço e o que importa é que a gente tenha certeza que este torcedor estará com a gente até o final do ano”, destaca o dirigente. O ingresso unitário custa R$ 50, valor aumentado no início do ano justamente para forçar a associação ao Coritiba.

Com a invasão ao gramado no final do ano passado e as controvérsias no plano Eternamente Coxa, muita gente deixou de pagar a mensalidade. “O clube teve um pequeno decréscimo de associados do Coritiba propriamente dito, no final do ano, estamos recuperando gradativamente e chegando a quase oito mil sócios só do Coritiba. Com o encerramento da terceirização que tínhamos (Eternamente Coxa) estamos puxando mais dois mil para se juntarem a esses oito”, revela.

E qual é a projeção? “Estamos saindo de um número próximo de dez mil e até o final de abril a gente espera chegar aos 12 mil sócios adimplentes”, avalia Zanetti.

No entanto, o dirigente avisa que mesmo com a perda de dez mandos a serem cumpridos em Joinville e a Copa do Mundo, o sócio ganhará vantagens. “Na semana que vem, nossos associados vão ter boas notícias em relação a campanhas que vamos lançar não só para este “supermando’ como para os dez jogos que vamos fazer em Joinville”, promete.

A tendência é que o clube banque ônibus para os associados e faça diversas atividades para estimular a galera alviverde a ser sócia e ainda prestigiar a equipe na cidade catarinense.