Duas semanas depois da vitória sobre o Guarani e com pouco mais de dez dias até a retomada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Coritiba pouco mudou nesse recesso para a Copa América. Os resultados irregulares e as atuações inconstantes nessas oito primeiras rodadas da segunda divisão não foram capazes de transformar o ambiente do clube, que, para o bem das suas finanças, precisa conquistar, neste ano, o acesso à primeira divisão.

Aliás, a confiança de que o Coxa voltará à elite, mesmo sem mudar praticamente nada neste período, continua alta. O técnico Umberto Louzer já avisou que o Alviverde garantirá sua vaga na Série A do ano que vem com três rodadas de antecedência. O presidente Samir Namur engrossou o discurso do comandante e também confia que o Verdão terminará a Série B entre os quatro primeiros colocados.

+ Leia mais: Pastana garante que Coritiba está de olho em reforços

O executivo de futebol, Rodrigo Pastana, porém, não vê o acesso com tanta facilidade. Pelo contrário. O dirigente espera muitas dificuldades na retomada da Série B, mas garantiu que o time vai conseguir retornar para a elite do futebol nacional de 2020.

“Levo isso como uma motivação, principalmente porque o Umberto (Louzer) trabalha no dia a dia. São diversas formas de motivar os atletas. Acho bacana a linha de trabalho dele. Acredito em trabalho, em dificuldade até o último momento. Mas na última ou faltando três rodadas, tenho certeza que vamos subir”, garantiu Pastana.

Umberto Louzer foi mantido no cargo. Foto: Felipe Rosa.
Umberto Louzer foi mantido no cargo. Foto: Felipe Rosa.

Especialmente depois da derrota sofrida no clássico com o Paraná por 3×2, dentro do Couto Pereira, falou-se muito em mudanças no departamento de futebol. O treinador ficou por um fio e a vitória por 1×0 sobre o Guarani, em Campinas, na última rodada antes da parada, deu sobrevida ao comandante no clube. Prova da confiança que Pastana tem no trabalho do Louzer.

“Certeza que ele permanece. Confiamos no trabalho do Umberto. A gente não trabalha com o ‘se’ dentro da nossa realidade. A gente vê o que ele tem evoluído, no trabalho mesmo em si. E estamos bem satisfeitos com o trabalho dele”, garantiu o dirigente.

+ Confira também: Coritiba volta a contar com Rafinha e Giovanni pra volta da Série B

Neste período, a mudança mais contundente no ambiente foi a rescisão do contrato do zagueiro Alan Costa. O defensor se recusou a jogar diante do Guarani e acabou sendo desligado do elenco. Novos reforços não chegaram e o time ainda tem alguns jogadores no departamento médico. Somente procedimentos internos foram feitos nesse período de folga, especialmente na área de fisiologia.

Os números e especialmente o rendimento até agora na Série B não foram bons. Pastana admitiu que o Coritiba ficou devendo nessas oito primeiras rodadas, mas se apega nas estatísticas para projetar novos tempos para o Verdão na segunda divisão. Mais do que isso, o cartola acredita que essa parada fará a equipe evoluir em diversos aspectos.

+ Vai mudar: Coritiba vai ter mudança em seu time-base

“Até acho que o time ficou devendo. Se for ver estatisticamente, fomos o time que mais criou chances, o segundo mais ofensivo. Perdemos chances notórias de ter uma pontuação maior, mas tenho certeza que a gente vai evoluir, justamente pelo tempo de trabalho que tem e por algumas alterações e avaliações feitas nesse período. No início do ano, após a chegada do Umberto, ao final das oito rodadas, faríamos essa avaliação e fizemos nesses oito dias que tivemos de folga. Alterações foram feitas de procedimentos internos, o time vai evoluir ainda mais, terá uma pontuação maior ao final do primeiro turno e com certeza estará solidificado no G4”, arrematou o dirigente.