Não foi fácil, mas o Coritiba garantiu a vaga na decisão da Taça Dirceu Krüger do Campeonato Paranaense ao vencer o Londrina por 2×1, neste domingo (7), no Estádio Couto Pereira. O time coxa-branca não fez um grande jogo, mas a reação vista no segundo tempo, depois de sair perdendo para o Tubarão e com o gol da virada sendo anotado já na reta final da partida, foi enaltecida pelo técnico Umberto Louzer. Para o comandante, é a prova de que o time alviverde está evoluindo.

+ Virada: Veja como foi a classificação do Coxa

“Mais uma vez ficamos felizes, pois passamos por etapas. Estamos em processo de construção e hoje foi um dia importante. Não havíamos virado nenhuma partida ainda. É mais um ponto positivo para a disputa da Série B”, explicou o treinador.

+ Opinião: Augusto Mafuz fala do Atletiba decisivo

Pela frente agora o Coritiba terá o Athletico, em um duelo único na Arena da Baixada, que acontece já nesta quarta-feira (10), às 21h30, na Arena da Baixada. Sem muito tempo para se preparar, Louzer afirmou que a preparação alviverde será mais na base da conversa do que propriamente nos treinamentos.

+ Torcida: Coritiba pede ingressos ao Athletico

“É uma final de campeonato, é clássico. São ingredientes que você precisa de uma preparação muito boa. Vai ser muito na base das conversas, dos vídeos e dos ajustes dentro de campo. Vamos chegar bem preparados para alcançar nosso objetivo, que é ser campeão. É mais um crescimento para todos esses atletas”, reforçou.

+ Personagens: Wanderley e Welinton Júnior entram e mudam o Coxa

Depois de um momento de instabilidade neste segundo turno, o Coritiba chega com moral para enfrentar o Furacão. Além disso, o técnico Umberto Louzer lembrou da força do grupo coxa-branca, já que o gol da virada saiu dos pés de dois jogadores que estavam no banco de reservas. Welinton Junior fez grande jogada para o gol de Wanderley aos 39 minutos da etapa final.

+ Confira a classificação completa e a tabela de jogos da Taça Dirceu Krüger

“Prova que temos trabalhado todo o conjunto. Não existe titular e nem reserva. Trabalhamos com todos da mesma maneira. Hoje o futebol está muito organizado e tem que dar confiança para os atletas, pois vão errar também. Procuramos estimular essas características para, em situações como essa, eles estarem seguros para executar e ajudar o time a sair com a vitória”, concluiu.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!