Edu Sales reclamou demais
e acabou sendo expulso,
prejdicando a equipe na hora da reação.

O Coritiba teve mais sorte que juízo na rodada de ontem. Apesar de ter perdido por 2 a 1 para o Guarani, em Campinas, a equipe se manteve na terceira colocação na tabela, em função da combinação de outros resultados. Mesmo assim, o mau resultado não deixou de servir de alerta, já que há algumas rodadas o Alviverde não apresenta um futebol convincente. Mas ontem a derrota teve a mão do árbitro Alício Pena Júnior.

Já aos 55 segundos do jogo, o Coritiba tomou um susto ao levar um gol após a cobrança de escanteio de Alex. Entretanto, o auxiliar Marco Antônio Gomes acusou falta de Rafael Silva, que assinalou o gol, em cima de Reginaldo Nascimento.

Mas a jogada serviu para mostrar que o caminho do Bugre era pela direita, especialmente passando a bola pelo habilidoso Ruy. Tanto é verdade que ao seis minutos de jogo, o Guarani já havia conquistado cinco escanteios pelo setor direito – para sorte do Coritiba, Alex não estava com o pé calibrado.

A pressão exercida em cima do Coritiba rendeu o primeiro fruto aos 24 minutos da etapa inicial, em um lance irregular, diga-se de passagem. Simão cobrou falta, a bola desviou na barreira e Rafael Silva, impedido, mandou para o fundo da rede de Fernando, contando com o aval do auxiliar e do árbitro.

Com o gol, o Coritiba despertou para o jogo, mas com um meio-de-campo confuso e um ataque inoperante, as jogadas protagonizadas pela equipe não surtiram o efeito esperado. O Bugre continuou melhor e graças ao goleiro Fernando o Coritiba não saiu para o intervalo com um resultado pior. Ele salvou um chute potente de Wagner no finalzinho da primeira etapa.

A má disposição da equipe fez com que o técnico Paulo Afonso Bonamigo fugisse ao hábito de esperar até os quinze minutos da etapa complementar e efetuasse uma substituição. Sacou o zagueiro Edinho Baiano e escalou o meia Souza, passando a jogar no 4-4-2.

A mudança tornou o time mais coeso no meio, o que proporcionou o equilíbrio na partida, tornando o jogo mais franco. Entretanto, o lampejo de melhora foi por água abaixo quando o atacante Edu Sales, que já tinha cartão amarelo, foi expulso por reclamação, aos 13 minutos.

Se a situação já não estava das mais fáceis, com um homem a menos tudo ficou mais difícil. Apesar de esboçar algumas jogadas ofensivas, o Guarani era mais ativo e não demorou para ampliar o marcador, em mais um lance duvidoso. Aos 26 minutos, o árbitro apontou uma falta técnica de Odvan e na cobrança em dois lances, Simão tocou para Alex, que soltou um petardo sem chances de defesa para Fernando.

A pressão crescia à medida em que o final da partida se aproximava. Rinaldo, que entrou cheio de gás, teve algumas oportunidades. Até que o técnico Paulo Afonso Bonamigo decidiu partir para o tudo ou nada, dando passagem ao atacante Helinho no lugar de Lima. Mesmo que desestruturado taticamente, o Coxa cresceu na garra e conseguiu diminuir aos 36 minutos. Souza pegou um rebote da defesa e chutou forte da entrada da área. A bola ainda desviou em Juninho, enganando o goleiro Fernando. Ceará ainda teve a chance de empatar numa cobrança de falta, mas a bola passou rente à trave direita de Fernando. Nos últimos minutos, Bonamigo escalou Gélson e passou a jogar com três atacantes. Mas já era tarde demais. O revés já estava sacramentado.

Campeonato Brasileiro

34ª Rodada

Local:

Brinco de Ouro da Princesa

Árbitro:

Alício Pena Júnior (MG)

Auxiliares:

Marco Antônio Gomes (MG) e Helberth Costa (MG)

Gols:

Rafael Silva aos 24 minutos do 1º tempo; Alex aos 27, Souza aos 36

Cartões Amarelos:

Odvan, Simão, Alex, Roberto Brum e Juninho

Cartão Vermelho:

Edu Sales

Público pagante:

2.630

Renda:

R$ 24.938,00

GUARANI

2 X 1

CORITIBA

GUARANI

Fernando, Ruy, Juninho, Nenê, Alex (Paulo Henrique), Emerson, Leandro Guerreiro, Simão, Dinélson, (Rinaldo), Wagner, Rafael Silva (Rafael). Técnico: Barbieri

CORITIBA

Fernando, Ceará, Odvan, Edinho Baiano (Souza), Adriano, Reginaldo Nascimento, Roberto Brum,

Jackson (Gélson), Lima (Helinho), Edu Sales, Marcel. Técnico: Paulo Afonso Bonamigo

Desfalques para quinta

O técnico Paulo Afonso Bonamigo terá poucos dias para amenizar os defeitos do Coritiba. Na quinta-feira à noite, no Couto Pereira, o time volta a campo contra o Goiás, que vem se destacando no campeonato brasileiro. Para o compromisso, o treinador terá dois desfalques na equipe titular: o zagueiro Odvan recebeu o terceiro cartão amarelo e o atacante Edu Sales foi expulso, por reclamação.

Apesar de os companheiros de equipe de Edu terem repudiado sua atitude de discutir com o árbitro, uma vez que ele já tinha sido advertido com o cartão amarelo, o árbitro Alício Pena Júnior não foi poupado de críticas. “Não sei o que ele viu no lance do segundo gol. Não houve nada”, reclamou o goleiro Fernando, referindo-se à falta técnica creditada ao zagueiro Odvan, que resultou na cobrança de falta perfeita de Alex.

Para o volante Roberto Brum, o árbitro não foi muito feliz. “Trabalhamos a semana toda, tentamos mesmo com um jogador a menos, mas todos viram que a arbitragem não colaborou.”

Para o técnico Paulo Afonso Bonamigo, a equipe mostrou poder de reação. “Não fizemos um bom primeiro tempo, mas conseguimos reagir. Pena que tarde demais para garantir um resultado melhor.”

A equipe se reapresenta hoje à tarde no CT da Graciosa. Mas sem o técnico Paulo Afonso Bonamigo, que ontem iria participar de dois programas esportivos em São Paulo. O treinador recomeça a trabalhar com a equipe na manhã de amanhã.