Foto: Júlio César Costa/AAN

Coxa saiu na frente com um golaço do zagueiro Henrique, mas a Ponte empatou no final, adiando a festa.

Não foi ontem, mas pode ser no próximo sábado, em casa e diante de um Couto Pereira lotado. Uma vitória diante do Rubro-Negro baiano garante matematicamente o Coritiba na primeira divisão em 2008 e põe fim ao calvário de dois anos na Série B. Ontem, o Alviverde ficou no quase, mas lutou como se fosse uma verdadeira decisão de campeonato. Depois de sair na frente com um golaço de Henrique, o time sofreu o empate no final e ficou no 1 a 1. Mesmo assim, virtualmente classificado, a torcida prepara uma nova invasão no aeroporto, só que dessa vez para festejar os guerreiros coxas.

Com a possibilidade de voltar do Moisés Lucarelli classificado, o Coritiba encarou a Ponte Preta como se fosse o jogo da vida. A execução do hino nacional deixou claro isso, quando os jogadores suplentes e a comissão técnica se uniram numa última corrente antes do confronto. Era a prova da aplicação alviverde. Em campo, o time também foi assim. Por opção do técnico René Simões, Henrique Dias entrou no lugar de Keirrison e foi ele quem deu o primeiro chute. Não foi muito perigoso, mas o atacante estava lá, em busca da vitória que poderia valer a classificação para a Série A.

Mas não estava fácil. Num gramado para lá de surrado, o toque de bola se tornou mais difícil e a marcação forte prevaleceu. O jeito era arriscar e Ricardinho mandou um petardo que passou raspando. Do outro lado, a Macaca se insinuava, mas só assustou numa bola despretensiosa que Edson Bastos bateu roupa. Também teve um pênalti de Jéci em cima de Alex Terra, mas a arbitragem não viu. Melhor para o Coxa, que foi para cima no segundo tempo e pressionou a Macaca.

O gol poderia ter saído dos pés de Pedro Ken em dois momentos. No primeiro, ele arrancou a toda e foi desarmado na entrada da área. Na outra chance, acabou chutando cruzado e ninguém aproveitou. Se o pessoal do meio e do ataque não fez, a defesa se apresentou. Numa bela cobrança de falta, Henrique encheu o pé e estufou a rede. A combinação dos resultados deixava o time a uma vitória do título, mas o castigo veio no final. Num bom lance pela esquerda, a bola foi alçada na área e Rafael Ueta virou e mandou no ângulo.

Com o empate, o time se mantém virtualmente classificado, mas precisa de uma vitória para carimbar o passaporte para a Série A. Por isso, a torcida vai esperar a chegada da delegação pela manhã no aeroporto para saudar os jogadores que vêm dando o máximo para levar o Coritiba de volta à elite do futebol brasileiro.

Jogadores lamentam empate

?Deixamos escapar no finalzinho uma vitória que nos daria o carimbo para a primeira divisão.? A análise do meia Pedro Ken reflete o sentimento que ficou entre os jogadores após o empate de ontem contra a Ponte Preta. ?Mas acho que valeu pelo esforço e as coisas vão acontecer no momento certo. Agora temos um jogo em casa, importantíssimo, contra o Vitória, e mais uma vez um confronto contra um vice-líder?, projetou. Apesar da empolgação geral, ele pede ainda pés no chão. ?A torcida tem que aproveitar o bom momento que estamos vivendo, mas nós só temos que relaxar quando conseguirmos o título?, garantiu.

Para o zagueiro Henrique, o ponto conquistado valeu pela vontade que o time mostrou, mas é necessário pensar no próximo confronto. ?Agora é só trabalhar, porque o tempo é curto. Temos que pensar no jogo de sábado, mais um jogo difícil?, apontou. De acordo com o líbero Ânderson Lima, o Coxa tem mostrado um poder de reação nos momentos mais difíceis. ?A gente sabe que está no caminho certo, tenho certeza que vamos fazer um grande jogo e, se Deus quiser, concretizar a nossa classificação?, destacou.

Chateado também, o técnico René Simões não gostou da forma como o time recuou após fazer o 1 a 0. ?Foi estranhamente chato ver o nosso time jogando assim, errando assim, mas a gente corrige isso?, analisou.

CAMPEONATO BRASILEIRO – SÉRIE B

33.ª Rodada

Ponte Preta 1 x 1 Coritiba

Ponte Preta

Dênis; Zacarias, João Paulo e Ânderson; Alex Silva, Ricardo Conceição, João Marcos (Rafael Ueta, 22 do 2.º), André e Fernando (Alex Silva, 16 do 2.º); Alex Terra e Wanderley (Beto, 29 do 2.º).

Técnico: Paulo Comelli

Coritiba

Edson Bastos; Henrique, Ânderson Lima e Jéci; Gilberto Flores (Keirrison, 11 do 2.º), Douglas Silva, Pedro Ken, Ricardinho (Caíco, 1 do 2.º) e Fabinho; Henrique Dias e Gustavo (Marlos, 22 do 2.º).

Técnico: René Simões

Local: Moisés Lucarelli (Campinas).

Árbitro: Devarly Lira do Rosário (ES)

Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Wagner de Almeida Santos (RJ)

Gol: Henrique aos 19 e Rafael Ueta aos 43 do 2.º tempo

Cartão amarelo: Douglas Silva, João Marcos, Júlio César, André, Marlos

Renda: R$ 16.951,00

Público pagante: 2.424

Público total: não divulgado