Eliminado pelo Coritiba nas quartas de final da Copa do Brasil, o Palmeiras só volta a jogar agora no dia 22 de maio, quando estreia no Brasileirão, contra o Botafogo, em São José do Rio Preto (SP) – perdeu o mando de campo por problemas no campeonato do ano passado. E o técnico Luiz Felipe Scolari já sabe que terá um desfalque importante: o atacante Wellington Paulista.

Escalado como titular na vitória sobre o Coritiba por 2 a 0, na noite de quarta-feira, no Pacaembu, Wellington Paulista foi substituído no intervalo, após sofrer uma lesão no ombro direito. E, segundo os médicos do Palmeiras, não deve ter condições de jogar na estreia do Brasileirão. “A tendência é que ele fique em trabalho de fisioterapia pelo menos entre 10 e 15 dias. Mas, felizmente, foi apenas uma luxação”, afirmou o médico Rubens Sampaio.

“Infelizmente tivemos essa fatalidade com o Wellington. Acho que só poderemos contar com ele para a segunda rodada do Brasileiro, vamos ver como será a evolução da lesão. Para a estreia, só teremos o Kléber como homem fixo de área. Ele continua sendo aquele guerreiro que apanha e não reclama. Conto com ele”, disse Felipão.

O técnico, inclusive, praticamente descartou a contratação de reforços para o ataque palmeirense, admitindo que o atacante Fernandão, liberado recentemente do São Paulo, não faz mais parte dos planos do Palmeiras. A prioridade do clube para a disputa do Brasileirão é buscar dois laterais, um zagueiro e um meio-campista.

“A diretoria sabe que precisamos de reforços, de atletas para algumas posições mais carentes”, contou Felipão, ressaltando, porém, que o Palmeiras não possui dinheiro para fazer grandes investimentos. “Não teremos grandes nomes. Vamos investir em jovens que cheguem cheios de vontade.”