Com um gol marcado nos acréscimos do segundo tempo, o Vasco superou, de virada, o Atlético Mineiro por 2 a 1, nesta quarta-feira, no estádio Independência, em duelo que havia sido adiado da 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante Rossi deixou o banco de reservas foi decisivo para o triunfo ao marcar um gol de pênalti e dar o passe para o outro.

Com o resultado, o Vasco chegou aos 27 pontos, na 13ª posição, sonhando com uma vaga na próxima edição da Copa Sul-Americana e com oito de vantagem para a zona de rebaixamento. O time, inclusive, já está próximo do Atlético-MG, que está com 30 pontos, em décimo lugar.

A equipe mineira, aliás, voltou a decepcionar o seu torcedor, após abrir o placar com Otero. Mas cedeu a virada em jogadas que contaram com erros do lateral-direito Patric. E a derrota deverá aumentar a pressão sobre o técnico Rodrigo Santana.

O Vasco voltará a jogar pelo Brasileirão no sábado, quando receberá o Santos, em São Januário. No dia seguinte, o Atlético-MG visitará o Palmeiras, no Allianz Parque.

O JOGO – O fator campo não importou no primeiro tempo da partida no Independência. Mesmo fora de casa, o Vasco tratou de jogar com a marcação adiantada e foi superior ao Atlético-MG, que praticamente só chegou com perigo em jogadas de bola parada, como em uma cobrança de falta de Otero, que acertou no travessão.

A pressão do Vasco na saída de bola do Atlético-MG foi surtindo efeito, com o time carioca forçando os erros do adversário para ter chances de gol. Uma delas foi com Andrey, que acertou a trave. Em outra, Ribamar desperdiçou oportunidade após erros em sequência de Cleiton e Iago Maidana.

Além disso, o Atlético-MG apresentava problemas claros na marcação, com Nathan, escalado como primeiro volante, dando pouco combate, assim como Elias. Além disso, o time sofria com a velocidade e os dribles de Talles Magno, que envolveu o lateral-direito Patric. E quase marcou o seu gol aos 46 minutos, em cabeceio que acertou o travessão.

O começo do segundo tempo indicou que o Vasco não alteraria seu estilo de jogo, tanto que quase marcou no seu primeiro lance com Marrony, após linda tabela com Raul. E, sem conseguir criar, restou ao Atlético-MG trocar o seu principal armador, com a saída do apagado Cazares, vaiado pela torcida, para a entrada de Vinícius.

Mas o gol atleticano saiu em uma jogada de bola parada, aos 14 minutos. No lance, Vinicius cruzou, Igor Rabello desviou e Otero, livre, empurrou para as redes, fazendo o seu segundo gol nos últimos dois jogos.

Só que o Atlético-MG ficou pouco tempo em vantagem. Aos 20 minutos, após consulta ao VAR, Heber Roberto Lopes marcou pênalti de Patric em Marrony. Rossi, que tinha iniciado o duelo no banco de reservas, executou a cobrança, aos 21, e igualou o placar.

A partir daí, o jogo perdeu em emoção. Mas ainda teve tempo para outra participação decisiva de Rossi. Dessa vez, aos 48 minutos, Rossi deu lindo lançamento de três dedos para Marcos Júnior, que aproveitou falha de Patric para dominar no peito e bater, marcando um belo gol para o Vasco.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 1 X 2 VASCO

ATLÉTICO-MG – Cleiton; Patric, Iago Maidana, Igor Rabello e Fábio Santos; Nathan, Elias (Geuvânio), Luan (Ricardo Oliveira), Cazares (Vinicius) e Otero; Franco Di Santo. Técnico: Rodrigo Santana.

VASCO – Fernando Miguel, Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castán e Henrique; Richard, Raul e Andrey (Marcos Junior); Marrony, Ribamar (Rossi) e Talles Magno (Gabriel Pec). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GOLS – Otero, aos 14, Rossi, aos 21, e Marcos Junior, aos 48 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Heber Roberto Lopes (SC).

CARTÕES AMARELOS – Patric, Nathan e Cazares (Atlético-MG); Andrey e Raul (Vasco).

RENDA – R$ 86.502,00

PÚBLICO – 10.485 torcedores.

LOCAL – Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).