Bebidas alcoólicas nem pensar.

O primeiro clássico após a divulgação do Estatuto do Torcedor está ganhando uma atenção especial. Dispostos a cumprir a lei a fim de evitar problemas futuros – haja vista o artigo 19, que aumenta a responsabilidade dos dirigentes – os comandantes do trio de ferro se uniram em uma comissão jurídica, com o intuito de padronizar as ações. Os trabalhos realizados até agora serão colocados em prática no Atletiba deste sábado, às 18h, no Couto Pereira.

Em uma reunião realizada na tarde de ontem, na Paraná Esporte, foram divulgadas algumas ações diferenciadas para o jogo.

Como ainda não dispõe de câmeras de monitoramento fixas – o prazo para instalação é de 6 meses – a diretoria do Coritiba contratou alguns profissionais para filmar as entradas do estádios. A Polícia Militar também auxiliará neste processo. “Vamos acompanhar o torcedor que entrar no estádio e caso haja confusão, vamos identificá-los e proibi-los de assistir a outros jogos”, disse o advogado do Coritiba, Fernando Barrionuevo. Como acontece no futebol inglês, o torcedor que se envolver em brigas e for identificado, terá de comparecer à delegacia a cada partida realizada, no caso, no Couto Pereira. Em resumo, o torcedor também terá de fazer a sua parte, evitando tumulto em prol do espetáculo.

O Coritiba também irá disponibilizar trinta orientadores espalhados pelo estádio, bem como quatro ambulâncias em pontos estratégicos do estádio (uma vez que são esperados 35 mil torcedores).

No acesso ao estádio e no estacionamento, será feita uma operação pente fino para remover qualquer objeto que possa ser usado por torcedores em eventuais tumultos, como paus, pedras e tijolos.

Regras

A discussão de ontem serviu de alerta para a revisão de alguns pontos da resolução de 2001, especialmente no que concerne à venda de ingressos. A Federação Paranaense de Futebol e a Polícia Militar já entraram em acerto para convocar uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná, juntamente com os clubes. O intuito é fazer uma avaliação das normas vigentes para clássicos e o estudo para melhorá-las.

Algumas destas, que se referem aos “deveres dos torcedores”, no entanto, estarão mais válidas do que nunca para o clássico deste sábado. A URBS orientou os motoristas e cobradores de coletivos a não permitirem a entrada de torcedores trajando camisa de clube ou de torcidas organizadas. As camisas das torcidas organizadas estão proibidas também dentro do estádio.

O consumo de bebidas destiladas também está vetado e a PM prometeu ser enérgica com torcedores que insistirem em levá-la ao estádio. “O tubão está vetado”, disse o major Mello, referindo-se à bebida apreciada por muitos torcedores, obtida da mistura de cachaça com gasosa.

Fórum do Desporto

No embalo dos debates, o presidente da Paraná Esporte, Ricardo Gomyde, lançou oficialmente o Fórum Nacional do Desporto, que será realizado em Curitiba, nos dias 27, 28 e 29 de junho, no Centro Poliesportivo Pinheirão. O objetivo do encontro, que será realizado em parceria com o Ministério do Esporte e Turismo, é o debate público do projeto de lei denominado “Estatuto do Desporto”, com a presença do relator na Câmara Federal, o Deputado Gilmar Machado (PT-MG).

“Promovendo o evento, o Estado do Paraná sai na frente na execução e discussão das novas legislações em vigor no Brasil, unindo os clubes, a imprensa, as federações, os árbitros, atletas e autoridades competentes”, disse Gomyde.

Veja local dos ingressos

A disputa do Atletiba começou ontem, na Federação Paranaense de Futebol. A reunião realizada à tarde, com a presença de representantes de Coritiba e Atlético e chefes das torcidas organizadas foi acalorada, especialmente quando foi colocada em pauta a questão da venda de ingressos. No entanto, tudo acabou se resolvendo e o encontro terminou em clima de confraternização.

Preocupada com os incidentes ocorridos no clássico entre Coritiba e Paraná, quando houve desencontro de informações sobre a venda de ingressos, a Polícia Militar pediu que não fossem colocados à venda ingressos para a torcida atleticana no Couto Pereira. “Como há um portão único de acesso, fica complicado conter os torcedores”, alertou o major Mello, que também era o comandante no Paratiba.

A determinação nada mais é do que o cumprimento de uma resolução de março de 2001, lançada após um Atletiba de muita pancadaria no Couto Pereira. A partir daquele dia, ficou determinado que não seria autorizada a venda de ingressos no dia no jogo. No entanto, há algum tempo os clubes mandantes estão vendendo ingressos para suas torcidas. “Se vende para uns, tem que vender paras outros”, ressaltou o presidente da Federação Paranaense de Futebol, Onaireves Moura.

Após um longo debate, acabou-se abrindo uma exceção. Apesar dos torcedores atleticanos não poderem comprar seus ingressos no Couto Pereira, eles poderão fazê-lo do dia do jogo. “Vamos vendê-los na Arena até às 13h do sábado”, informou o diretor de patrimônio do Atlético, Jorge Vargas. Nesta sexta-feira, o clube esticará o expediente até às 19 horas. Como a diretoria atleticana pegou apenas cinco mil ingressos dos 8 mil disponibilizados pela diretoria coxa-branca, também existem ingressos para a torcida do Atlético nos cinco postos determinados para a venda de ingressos do Coritiba, os shoppings Itália, Curitiba, Total e Mueller. Excepcionalmente no Shopping Mueller serão vendidos ingressos do Atlético – desde de que a cota ainda não esteja esgotada – até às 18h de sábado. Para a torcida coxa-branca, os ingressos estarão à venda no Couto Pereira até a hora do jogo.

Os portões do estádio Couto Pereira serão abertos às14h30 e a polícia escolta a torcida atleticana da Arena até o Alto da Glória a partir das 15h30. A entrada dos rubro-negros, como de praxe, será pela rua Floriano Essenfelder.