Valquir Aureliano
Edmilson poderia ter mudado a história do jogo.  Flávio não deixou.

No equilibrado confronto de ontem, entre Coritiba e Paraná Clube, não deu outra no Alto da Glória: empate por 2 a 2.

O resultado deixou as duas equipes na 2.ª colocação no Grupo A, com 1 ponto ganho.

A Adap, que venceu – por 1 a 0, o Cascavel, lidera o grupo, com 3 pontos. Numa partida que alternou grandes emoções com momentos de sonolência, os rivais estrearam na 2.ª fase do Paranaense em pé de igualdade e com a garra superando a técnica, como já era esperado num clássico desse porte. Com o resultado, o Alviverde mantém a invencibilidade e a sequência ascendente enquanto o Tricolor mostra que a derrota para o Flamengo já foi superada. No meio de semana, o Coxa encara o Ulbra-RO pela Copa do Brasil e o time da Vila volta a enfrentar os cariocas pela Libertadores.

Empatados com 28 vitórias para cada lado, o Paratiba de ontem poderia ser o tira-teima para ver quem tem a hegemonia nos confrontos. Seria também a prova de fogo para o Coritiba provar que a ascensão técnica da equipe é pra valer e a chance do Paraná de se redimir pelos fracassos diante de Atlético e Flamengo. Mas, o empate acabou mostrando que os dois times saíram no lucro. Mesmo atuando em casa e se obrigando a vencer, o Alviverde enfrentou o time A paranista e conseguiu reverter o placar duas vezes. E o mesmo valeu para o Tricolor, que contabiliza um ponto fora de casa após os questionamentos pela derrota diante do rubro-negro carioca.

Em campo, ao mesmo tempo em que o Coxa tentava fazer valer o fator Couto Pereira, os comandados de Zetti administravam o placar e exploravam os erros do adversário. E foi assim que o Paraná fez seus dois gols. Primeiro, Vinícius Pacheco recebeu na frente da área e mandou no canto. Paraná 1 a 0. O empate, porém, chegou com uma bobeira da zaga e uma infelicidade de João Paulo. Primeiro, Eanes recebeu livre de Geraldo, limpou, todo mundo abriu e ele chutou. A bola desviou no zagueiro e entrou. Coritiba 1 a 1. Enquanto comemoravam, Egídio pegou a bola e foi levando até mandar o canudo pegando todo mundo de surpresa. Paraná 2 a 1.

Perdendo, Guilherme Macuglia trocou Geraldo por Caíco e pôs o time mais à frente. O time até criou algumas oportunidades, mas Edmílson parou na defesa salvadora de Flávio e Ânderson Lima errou a pontaria. A torcida coxa sentiu o momento e passou a gritar mais forte, mas o empate saiu somente de um lampejo de Keirrison. O atacante aproveitou uma sobra, ajeitou e virou mandando de esquerda no ângulo. Coritiba 2 a 2. A resposta do Tricolor quase aconteceu em seguida, com Josiel, mas Juninho travou na hora e garantiu a igualdade no marcador.

Macuglia diz que ?faltou combate?

A falta de atenção na meia-cancha determinou o empate do Coritiba com o Paraná por 2 a 2 na visão do técnico Guilherme Macuglia. Segundo ele, o time também foi surpreendido pelos chutes do adversário, que aproveitou o mau posicionamento para conseguir seus dois gols.

Por isso, o treinador disse ao final do jogo que não gostou do resultado e que o time poderia ter vencido o clássico se tivesse dado mais combate e não tivesse perdido tantas bolas no meio-de-campo.

?Acho que temos que ter um pouco mais de retenção, de cuidados nessas bolas. Quando perde o lance dá o contra-ataque porque estão saindo os dois laterais ao mesmo tempo?, destacou. Para Macuglia, o meia Marlos não precisava ter recuado tanto em alguns momentos para a linha dos volantes. ?Sempre digo para ele que ele é um meia-atacante e, na dificuldade da marcação do Xaves, ele veio buscar jogo e sempre oriento para a gente ter cuidado nessa bola atravessada no meio?, apontou.

De qualquer forma, o treinador também considerou que a defesa poderia ter ?matado? as jogadas dos gols paranistas antes dos chutes. ?Fomos surpreendidos. Eles acertaram dois belos chutes e fizeram os dois gols quando estávamos num momento muito bom do jogo?, analisou. E, para tentar a igualdade no placar, a opção de Macuglia foi apostar no 4-3-3. ?Fiz a opção de tirar o Marlos e colocar o Ânderson Gomes para forçar em cima do Egídio, que estava apoiando bastante, criamos bastante e poderíamos, quem sabe, até sair com a vitória?, justificou.

Hoje à tarde, o elenco do Coxa volta a trabalhar no Couto Pereira. Os titulares farão um trabalho regenerativo enquanto aqueles que não jogaram farão um trabalho físico/técnico. Logo em seguida, a delegação já embarca para a viagem até Ji-Paraná, onde enfrenta a Ulbra-RO pela Copa do Brasil. Para essa partida, o treinador já confirmou a presença do meia Caíco, mas ainda não está definido quem sai. O meia Marlos, que está sentindo a musculatura devido a sequência de jogos poderá ser poupado.

O confronto contra os rondonienses está programado para às 21 horas – de Brasília – no Estádio Biancão.

Golaço de Keirrison teve ?condução divina?

?Conversei com Deus para ver o que poderia fazer para ajudar a minha equipe.? A fé do atacante Keirrison ajudou o Coritiba a sair de campo com um empate por 2 a 2, ontem, diante do Paraná Clube. Quando o Coritiba já estava chegando perto do momento do desespero, ele acertou um petardo de esquerda no ângulo e marcou um golaço. ?Fui feliz, acabei fazendo um gol e é lógico que ficamos felizes, mas não tanto porque a vitória era muito importante aqui dentro de casa?, analisou o artilheiro alviverde na temporada com sete gols.

Ele revelou que seu pai sempre exigiu que ele trabalhasse chutes com a perna esquerda e o resultado está sendo mostrado agora que ele está totalmente recuperado de uma lesão no joelho esquerdo. ?Sempre trabalhei a esquerda e fui feliz, mas é o trabalho. Quando uma pessoa trabalha, Deus abençoa e, hoje, fui feliz?, reforçou Keirrison. Para ele, foi um momento mais especial ainda por ter sido o primeiro gol em clássicos. ?Fiz esse gol bonito, estou muito feliz, mas já temos que pensar na Copa do Brasil e fazer uma grande partida lá em Ji-Paraná-RO?, projetou.

CAMPEONATO PARANAENSE
2.ª Fase – 1.ª rodada
Local: Couto Pereira
Árbitro: Evandro Rogério Roman
Assistentes: Francisco Aurélio do Prado e Dirceu Elói Comin
Gol: Vinícius Pacheco (P) aos 23 minutos, Eanes (C) 38, e Egídio, 40 (P) do 1.º tempo. Keirrison (C) 34 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Henrique (C), Edmílson, João Paulo, Goiano (P)
Renda: R$ 163.435
Público pagante: 13.243
Público total: 14.551

Coritiba 2 x 2 Paraná

Coritiba
Artur; Ânderson Lima, Henrique, Leandro e Douglas Silva; Juninho, Geraldo (Caíco, 1 do 2.º), Pedro Ken e Marlos (Ânderson Gomes, 26 do 2.º); Eanes (Edmílson, 19 do 2.º) e Keirrison. Técnico: Guilherme Macuglia.

Paraná
Flávio; André Luiz, João Paulo, Neguete e Egídio; Xaves, Beto, Gérson (Goiano, 11 do 2.º) e Éverton (Joélson, 26 do 2.º); Henrique (Josiel, 18 do 2.º) e Vinícius Pacheco. Técnico: Zetti.