Rio de Janeiro – A seleção brasileira adulta masculina de basquete desembarca esta manhã no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Na bagagem, o título inédito da 5.ª Copa América e a vaga para Campeonato Mundial do Japão em 2006.

Cinco brasileiros aparecem nas estatísticas da Copa América entre os 10 primeiros. O armador Leandrinho, o ala/armador Marcelinho, os alas Guilherme e Alex e pivô Tiago Splitter. "A Copa América foi uma competição muito equilibrada. A nossa equipe mostrou espírito de luta, superação e coletividade. Passamos por dois momentos muito difíceis. O primeiro foi a lesão do Anderson, que deixou todos tristes e o grupo precisou de uns dois jogos para se adaptar a entrada do Murilo. Depois foi a derrota para Porto Rico na segunda prorrogação", comenta o técnico Lula Ferreira.

Para ele, os momentos de frustração foram fundamentais para a conquista da Copa. "Após perder para os porto-riquenhos, soubemos nos recuperar em menos de 24 horas e conseguimos a vaga para o mundial com a vitória sobre a República Dominicana. Na semifinal, fizemos uma excelente partida contra os americanos, sobretudo na parte defensiva. Contra a Argentina, não marcamos bem no primeiro tempo, mas nos recuperamos brilhantemente na etapa final", elogia.

A análise do treinador era positiva antes mesmo da conquista. "É importante ressaltar que os pontos fortes desse elenco foram o conjunto, onde ninguém jogou para si e todos focaram do início ao fim no objetivo de ser campeão da Copa América. Cumprimos uma etapa nesse início de ciclo olímpico, rumo à vaga para a Olimpíada de Pequim, em 2008. O caminho é longo e difícil, mas foi bem iniciado. Agora é fortalecer o grupo em todos os aspectos: tático, técnico e emocional para buscar o pódio no Mundial do Japão, em 2006, o tricampeonato nos Pan-Americano, no Rio de Janeiro, em 2007 e a vaga no Pré-Olímpico. Temos um grupo com enorme talento individual e grande força coletiva e com isso vamos à luta nos próximos compromissos", completa Lula.

Chance

Quem não retorna ao Brasil é o ala/armador Marcelinho, MVP e cestinha da Copa América, que recebeu uma proposta do Cleveland Cavaliers. "Jogar na NBA sempre foi um sonho, mas não pensava mais nisso. Estava absolutamente concentrado no meu trabalho na seleção brasileira. Estou super feliz com a proposta do Cleveland, que estou indo analisar. É um reconhecimento do meu trabalho. Estou muito orgulhoso do meu desempenho na Copa América, mas divido os méritos com a equipe", afirma.