A cidade de Buenos Aires foi escolhida nesta quinta-feira como a sede dos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018 na sua edição de verão. A capital argentina concorria contra Medellín (Colômbia) e Glasgow (Escócia) e venceu a eleição realizada na sede do COI (Comitê Olímpico Internacional) em Lausanne (Suíça) durante assembleia extraordinária da entidade.

Com a escolha por Buenos Aires – que venceu Medellín por 49 a 39 no segundo turno da eleição desta quinta -, a América do Sul vai realizar as duas próximas edições olímpicas de verão, que nunca aconteceram nessa região do mundo. Em 2016, o Rio será sede dos Jogos Olímpicos.

Os Jogos Olímpicos da Juventude, exclusivos para atletas de 14 a 18 anos, foram criados em 2007 pelo COI. A primeira edição ocorreu em 2010, em Cingapura. A segunda está marcada para acontecer entre 16 e 28 de agosto de 2014 na cidade chinesa de Nanjing com a maior parte das modalidades que estão nos Jogos Olímpicos. Em algumas, há a adaptação. No basquete, por exemplo, o formato é o 3×3 e não o tradicional.

A candidatura de Buenos Aires era a quarta da história da cidade, que perdeu por um voto para Melbourne (Austrália) o direito de receber os Jogos Olímpicos de 1956. Depois, tentou também as edições de 1968 e 2004, sem sucesso. Agora, chegou à vitória no primeiro pleito para os Jogos da Juventude. O maior problema, desde já, é que a cidade quer realizar a competição em setembro, porque tem um inverno relativamente rígido. O COI prefere em agosto.

“Eu gostaria de parabenizar Buenos Aires e sua equipe de candidatura por sua dedicação e entusiasmo pelo projeto Jogos Olímpicos da Juventude. Eu não tenho nenhuma dúvida de que eles vão se espelhar nos sucessos de Cingapura/2010 e Nanjing/2014 para nos dar uma competição na qual os melhores jovens atletas de todo o mundo podem competir e aprender sobre os valores olímpicos”, disse o presidente do COI, Jacques Rogge.

A eleição começou com seis candidaturas, mas três delas foram retiradas: Guadalajara (México), Poznan (Polônia) e Roterdã (Holanda). Outras três chegaram até a votação desta quinta. No primeiro turno, Glasgow teve só 13 votos, contra 40 de Buenos Aires e 32 de Medellín, e foi excluída. Seus votos majoritariamente migraram para a cidade argentina, que confirmou o favoritismo para ficar com os direitos de organizar a competição.

No ano passado foi realizada a primeira edição dos Jogos de Inverno da Juventude, em Innsbruck, na Áustria. Em 2016 a competição será em Lillehammer, na Noruega. O calendário do COI inclui os Jogos do Rio/2016 e as Olimpíadas de Inverno de Sochi (Rússia) em 2014 e de PyeongChang (Coreia do Sul) em 2018.

Na última quarta-feira, também durante a assembleia extraordinária do COI, as três cidades candidatas aos Jogos Olímpicos de Verão de 2020 apresentaram seus projetos: Istambul (Turquia), Tóquio (Japão) e Madrid (Espanha). A eleição será na próxima assembleia geral, em setembro, em Buenos Aires.