Brilhou a estrela do trio Robinho, Kaká e Adriano e em ritmo de treino o Brasil aplicou uma sonora goleada por 4 a 0 sobre a Venezuela fora de casa no fim da tarde deste domingo (12). O resultado positivo, por enquanto, aliviou a barra do contestado técnico Dunga. Foi a segunda vitória longe do Brasil nestas Eliminatórias.

A seleção vai com moral para o jogo de quarta-feira contra a Colômbia, às 21h50 no Maracanã. Para esse confronto, Dunga não contará com Adriano, suspenso. Com a vitória, a seleção chega aos 16 pontos e retoma o segundo lugar da Argentina nas Eliminatórias para a Copa de 2010.

O jogo

A Venezuela começou animada e quase abriu o placar logo de cara. O goleiro fez ligação direta e deixou Arango na cara do gol, fazendo com que Júlio César praticasse excelente defesa. A partir daí só deu Brasil. Aos 5 minutos, Kaká recebeu lançamento de Robinho, entrou na área e encheu o pé: 1 a 0. Apenas três minutos depois foi a vez de Robinho brilhar. De muito longe arriscou um petardo que foi morrer no ângulo: golaço e o segundo do Brasil.

Na volta para o segundo tempo, Dunga resolveu preservar Juan, que voltava de contusão, e colocou Tiago Silva em campo. Se não fosse por Júlio César, que está em grande forma, a Venezuela teria descontado aos 6 minutos. A muralha brasileira defendeu dois chutes à queima roupa de Arango.

Aos 9 minutos, Robinho perdeu um gol imperdível, mas o craque, aos 21, se recuperou. Kléber fez um lançamento primoroso, Robinho dominou, ajeitou o corpo, e fuzilou o goleiro: 4 a 0 Brasil. O técnico Dunga promoveu a estréia de Alex, do Internacional, no lugar de Kaká, que fez uma bela partida mas estava pendurado. Outro que estreou foi Mancini que substituiu Josué.

Com a boa apresentação, o Brasil apagou a má impressão deixada no empate pífio contra a Bolívia na última rodada. Tocando bem a bola e criando muitas oportunidades, a seleção poderia ter marcado mais gols, mas no final da partida, administrou a vantagem construída e apenas tocou a bola esperando o tempo passar. Final: Brasil 4, Venezuela 0.