A nova seleção brasileira formada pelo técnico Carlos Alberto Parreira mostrou competência. Com gols dos novatos Gil, Luís Fabiano e Adriano, o Brasil venceu ontem a Nigéria por 3 x 0, em amistoso disputado em Abuja, capital nigeriana, e garantiu a primeira vitória do treinador desde que retornou ao cargo.

Sem medalhões como Rivaldo, Ronaldo e Roberto Carlos, curtindo um merecido descanso após a conquista do penta e a temporada européia, o time canarinho entrou em campo recheado de novidades e comandado por alguns remanescentes da “família Scolari”, que acabaram contagiados pela euforia dos mais jovens.

A grande expectativa era pelo reencontro da ala-esquerda corintiana, com Kléber, Gil e Ricardinho. Os ex-parceiros começaram tímidos e demoraram a engrenar, e quem deu as cartas nos primeiros minutos foi a ala-direita, com os pentacampeões Kléberson, Ronaldinho Gaúcho e Belletti.

Num lance por aquele lado, o meia do Atlético-PR lançou Luís Fabiano, que cruzou rasteiro para o corte da defesa. Em seguida, o trio destro tabelou pelo meio da defesa nigeriana até que Ronaldinho foi desarmado. Até Gil resolveu investir pela direita, mas saiu pela linha de fundo com bola e tudo após uma jogada individual.

O lance acordou os companheiros para a presença do veloz atacante corintiano. Quem notou isso primeiro foi Ricardinho, que finalmente reviveu a parceira dos tempos de Parque São Jorge. Numa jogada conhecida da fiel torcida, o meia lançou em profundidade para Gil, que invadiu a área e abriu o placar na saída do goleiro Enyeama, aos 33 min.

O lado direito resolveu dar o troco em grande estilo, revivendo uma parceria dos tempos de São Paulo. Quatro minutos após o primeiro gol, Belletti escapou pela direita, foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Luís Fabiano, que subiu livre entre os zagueiros para marcar o segundo gol brasileiro.

Se o primeiro tempo mostrou a competência do setor ofensivo brasileiro, a etapa final serviu para mostrar a segurança do setor defensivo. Os experientes Juan, Lúcio, Emerson e Kléberson controlaram sem problemas a pressão dos nigerianos e os mantiveram longe do gols de Dida, que foi tão pouco exigido como nos primeiros 45 minutos.

No ataque, o comando foi novamente de Ronaldinho Gaúcho e Ricardinho, mas Gil e Luís Fabiano deram espaço para outros brilharem. Especialmente o ex-flamenguista Adriano, outra aposta de Parreira, que fez o terceiro gol aos 35 min. Kléber fez jogada pela esquerda e cruzou para área. O atacante do Parma apareceu e bateu forte, no ângulo.

Adriano ainda teve a chance de ser coroado o dono do espetáculo, mas desperdiçou. No final, foi lançado em velocidade e ficou cara-a-cara com Enyeama, mas o goleiro levou a melhor. O placar de 3 x 0 foi definitivo e suficiente.

Outros atletas vão viajar hoje

Júlio César, Edu Dracena, Maurinho e Alex, que participam ontem da final da Copa do Brasil, embarcam para a França na tarde de hoje.

A delegação que estava na Nigéria viajou para Paris, na França, ontem à noite, onde disputa a Copa das Confederações. Na competição, a seleção brasileira está no grupo B, ao lado de Estados Unidos, Camarões e Turquia. No grupo A estão França, Colômbia, Japão e Nova Zelândia.

A seleção brasileira estréia no dia 19, contra Camarões, no Estádio Saint Denis (Paris), às 21h (hora local).