O Brasil encerrou sua preparação para a Copa América com uma grande goleada – a maior da era Tite -. Neste domingo (9), a seleção brasileira fez 7×0 em Honduras, no Beira-Rio e chega pro torneio, que será realizada em casa, de maneira mais leve e confiante. A estreia será na próxima sexta-feira (14), contra a Bolívia, às 21h30, no Morumbi.

Contra os hondurenhos, desde o início o Brasil encontrou facilidade para sair jogando e ir para cima. Sem Neymar, cortado por conta de uma lesão, David Neres foi o escolhido para ser titular. A troca, acabou dando uma maior coletividade à equipe, que teve alguns destaques individuais, como Gabriel Jesus, Richarlison e Philippe Coutinho, e fez o tempo todo a bola passar de pé em pé.

Foi assim que saiu o primeiro gol do jogo. Logo aos cinco minutos, Daniel Alves tabelou com Richarlison pela direita e cruzou na medida para Gabriel Jesus mandar para as redes, de cabeça. O gol, porém, demorou dois minutos para ser comemorado, uma vez que tinha sido anulado, mas depois confirmado pelo VAR.

+ Confira tudo sobre a seleção e o futebol paranaense

Logo depois, aos 12, mais um gol de cabeça. Philippe Coutinho cobrou escanteio e Thiago Silva se antecipou a todo mundo para desviar na saída do goleiro e mandar no cantinho. Um resultado construído rapidamente e que deu muita tranquilidade ao time em campo.

Gabriel Jesus abriu o caminho da goleada e foi o artilheiro do jogo, com dois gols. Foto: Pedro Martins/MoWa Press
Gabriel Jesus abriu o caminho da goleada e foi o artilheiro do jogo, com dois gols. Foto: Pedro Martins/MoWa Press

Tanto que a bola praticamente ficava no campo ofensivo da seleção, que buscava espaços para criar jogadas em meio à retranca hondurenha, que não tinha forças para sequer ameaçar a meta de Alisson. A situação ficou ainda mais fácil aos 28, quando Quioto fez falta dura em Arthur e foi expulso direto.

Com um a mais, a pressão só cresceu. Aos 35, Richarlison foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. Coutinho foi pra cobrança e bateu forte, marcando o terceiro do Brasil e iniciando uma série de tiroteio contra o goleiro Luis López. Depois do gol, o camisa 11 acertou duas vezes a trave, por muito pouco não ampliando a vantagem. Gabriel Jesus e Richarlison também estiveram perto de marcar mais.

No segundo tempo, o cenário não foi diferente. Logo no primeiro minuto, Fernandinho, que entrou no intervalo, lançou bela bola para Richarlison, que escorou de cabeça para Gabriel Jesus, livre, só ter o trabalho de mandar para o fundo das redes.

+ Leia também: Brasil estreou com vitória na Copa do Mundo de futebol feminino

Com a goleada já construída, Tite aproveitou a etapa final para fazer mais testes no time. Principalmente lá na frente, já que a seleção continuava atacando e construindo as jogadas. Aos dez, Filipe Luís tocou para David Neres, que entrou na área fintando o marcador e bateu na saída do goleiro, fazendo o seu primeiro com a amarelinha e o mais bonito da partida.

Só que tinha tempo pra mais. O duelo virou uma verdadeiro ataque x defesa. O Brasil martelava, ia pra cima, e Honduras se fechava, afastando a bola, que, no máximo, passava da linha do meio-campo e na sequência já voltava pra área. Tanto que, aos 19, veio o sexto. Firmino roubou a bola na área e deu um leve toque por cima do goleiro para fazer o sexto.

Brasil dominou Honduras o tempo todo e ficou sempre no ataque, Foto: Pedro Martins/MoWa Press
Brasil dominou Honduras o tempo todo e ficou sempre no ataque, Foto: Pedro Martins/MoWa Press

Mas, mais do que os gols, o que se via era um time com total controle do jogo. Jogadas trabalhadas, companheiros saindo da marcação e virando opção para quem tinha a posse de bola, tentativa de dribles e passes mais elaborados, fugindo do tradicional feijão com arroz. Claro que diante de um adversário mais frágil e a goleada já construída, tentar ousar é um pouco mais fácil.

Mesmo assim, a torcida gostou do que viu. Até mesmo o gremista Everton levantou os colorados no Beira-Rio na jogada do sétimo gol. O atacante recebeu pela esquerda, gingou em cima do marcador e cruzou rasteiro para Richarlison, sozinho na pequena área, deixar o dele também.

Ainda tinha tempo para mais. Sem fazer firula e com toques pouco objetivos, a seleção seguia criando oportunidades, rondando a área e finalizando a gol. Mas, esbarrou em chutes pra fora ou no goleiro López. Nada que fizesse a diferença diante de um placar tão elástico e uma atuação tão convincente, que empurra o time pra Copa América em busca da taça.

FICHA TÉCNICA

AMISTOSO

BRASIL 7×0 HONDURAS

Brasil
Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva (Miranda), Marquinhos (Éder Militão) e Filipe Luís; Casemiro (Fernandinho), Arthur (Allan), Philippe Coutinho (Everton), David Neres e Richarlison; Gabriel Jesus (Roberto Firmino).
Técnico: Tite

Honduras
Luis López; Crisanto, Henry Figueroa, Maynor Figueroa e Izaguirre; Bryan Acosta (Jorge Álvarez), Garrido (Castellanos), Alexander Lópes (Beckeles), Elis e Quioto; Rojas (Chirinos)
Técnico: Fabián Coito

Local: Estádio Beira-Rio (Porto Alegre-RS)
Árbitro: Andrés Cunha (Fifa-URU)
Assistentes: Gabriel Popovits (Fifa-URU) e Carlos Barrero (URU)
VAR: Daniel Fedorczuk (Fifa-URU)
Gols: Gabriel Jesus, 6, Thiago Silva, 12, e Philippe Coutinho, 36 do 1º; Gabriel Jesus, 1, David Neres, 10, Roberto Firmino, 19, e Richarlison, 24 do 2º
Cartões amarelos: Casemiro (BRA); Rojas (HON)
Cartão vermelho: Quito, 28 do 1º
Público pagante: 16.521
Renda: R$ 1.202.890,00

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!