Lisboa – Há jogos que terminam 0 a 0 e são de dar sono. Mas o empate sem gols de ontem entre Benfica e Barcelona em Lisboa, na abertura da quarta-de-final da Liga dos Campeões, esteve longe disso. Foi um jogo aberto, eletrizante e cheio de oportunidades de gol. No jogo de volta, que será dia 5 de abril na Espanha, quem ganhar se classificará para enfrentar o ganhador de Milan e Lyon nas semifinais. Empate com gols classifica o time português.

E outro 0 a 0 levará o jogo para a prorrogação.

?Não tenho dúvida de que em casa nós marcaremos?, disse o técnico Frank Rijkaard, do Barcelona.

O Barça poderia ter ido para o intervalo com o jogo decidido, de tantas chances que criou para marcar. Iniesta, Van Bommel e Deco davam qualidade e fluência à saída de bola e o trio ofensivo formado por Larsson, Eto?o e Ronaldinho Gaúcho era um tormento para a defesa dos donos da casa.

O time espanhol chegava tocando a bola como se estivesse treinando, sem encontrar resistência. As chances de gol se sucediam, mas desta vez os comandados de Frank Rijkaard não estavam precisos nas finalizações.

Na segunda etapa o Barça não criou tanto, mas continuou com volúpia para atacar. A diferença em relação à primeira metade do jogo é que o Benfica também mostrou suas garras. A partida passou a ser disputada num ritmo intenso, com os dois times buscando o gol.

O Benfica teve duas ótimas chances – numa delas, o ex-cruzeirense Geovanni chutou em cima de Van Bronckorst quando o goleiro Valdés estava batido – e o Barcelona mandou duas bolas na trave: a primeira num chute de Larsson, lançado por Ronaldinho nas costas do ex-santista Léo, e a segunda numa cabeçada de Thiago Motta, que jogou improvisado na zaga por causa das lesões de Edmílson e Rafa Marquez e da suspensão de Puyol.

Para o jogo de volta, é certa a volta de Puyol. E é grande a chance de Rijkaard poder contar com o talento de Messi, que se recupera de uma lesão muscular.

Arsenal

No outro jogo de ontem, o Arsenal ganhou em casa da Juventus por 2 a 0 e agora poderá até perder em Turim por um gol de diferença.

O espanhol Fabregas marcou aos 40 minutos do primeiro tempo e o francês Thierry Henry completou aos 24 do segundo. No finalzinho, os juventinos Camoranesi e Zebina foram expulsos.