O técnico Paulo Autuori indicou que deve deixar o comando do Vasco ainda nesta segunda-feira. No domingo, após a derrota por 5 a 3 para o Internacional, em Caxias do Sul, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o treinador afirmou que os dirigentes já estão cientes da sua posição e reclamou que eles não cumpriram com o que lhe foi prometido.

“As coisas não aconteceram como era a perspectiva. Sempre reconheci o esforço da diretoria, mas me sinto impotente quando não se cumpre minimamente com as suas obrigações. Já passei para a diretoria a minha posição”, disse.

Autuori, porém, preferiu não declarar que está fora do Vasco. Ele deve ter uma reunião nesta segunda com os dirigentes do clube para decidir o seu futuro. “Está no meu contrato, ele terão que falar, sabiam que eu não seria mais um a empurrar as coisas com a barriga. No Vasco, essas coisas estão virando histórico”, disse. “As coisas vão ficar bem claras amanhã (segunda-feira)”, completou.

Anunciado como técnico do Vasco no fim de março, Autuori fez exigências para dirigir o clube, incluindo que os salários de todos estivessem em dia, o que não está sendo cumprido. Além disso, o treinador reiteradamente reclamou dos problemas estruturais do clube. Agora, a sua paciência com os problemas parece ter acabado.

Apontado como um dos candidatos a suceder Ney Franco, que foi demitido, no comando do São Paulo, Autuori negou que o interesse do clube paulista tenha interferido na sua decisão. “Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Mas não há condição se o clube não recuperar rapidamente a sua saúde financeira. Nos últimos anos, disse não ao São Paulo umas três vezes”, afirmou.