O Atlético inicia neste domingo (1), diante do Atlético-MG, na Arena da Baixada, a sua sequência de dois jogos seguidos dentro de casa no Campeonato Brasileiro. Fazer valer o fator casa será fundamental para o Furacão voltar a encostar no G6 da competição nacional e, sobretudo, acabar com a oscilação do clube no torneio. Nos últimos cinco jogos, o time do técnico Fabiano Soares venceu apenas um e, por isso, se afastou um pouco da briga por uma vaga na Libertadores da América do ano que vem.

O treinador, no entanto, afirmou que essa oscilação no Campeonato Brasileiro é normal, principalmente por ter problemas de lesões e suspensões toda rodada. “É a realidade do futebol brasileiro, é difícil repetir escalação, jogadores que vem arrastando problemas musculares. Mas são circunstâncias do campeonato. Na Europa, Real Madrid e Barcelona também oscilam. Tem que pensar jogo a jogo”, afirmou o comandante rubro-negro.

Nessa linha de pensamento jogo a jogo, o técnico Fabiano Soares, na semana cheia que teve para trabalhar, buscou corrigir os erros cometidos na derrota contra o Santos para o duelo importante contra o Galo. O comandante confia, sobretudo, no modelo de jogo do Furacão para conseguir somar mais três pontos na competição nacional.

“Já foi corrigido contra o Santos. Algumas coisas que fizemos não foram boas, facilitamos a vida deles e os jogadores assimilaram isso. Agora é tentar seguir na linha boa. Temos plano A e plano B, o importante é que o Atlético tem um modelo de jogo”, arrematou o treinador do Furacão.

Para enfrentar o Galo, o Atlético deve ter algumas baixas. O meia Nikão, com dores na coxa, é desfalque certo para essa partida. O zagueiro Paulo André e o lateral-esquerdo Fabrício não subiram para o gramado no treino desta sexta-feira (29) e são dúvidas. O lateral-direito Jonathan fez trabalhos específicos, mas não preocupa.