Atlético e Flamengo farão neste domingo (27), às 16h, na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro, o quarto confronto entre os dois times na temporada de 2017. No mesmo grupo da Copa Libertadores da América, os rubro-negros carioca e paranaense duelaram pela vaga às oitavas de final até a última rodada, mas o Furacão, considerado, nas palavras do técnico Paulo Autuori, o “patinho feio” do grupo, levou a melhor. Já o time da Gávea, então favorito a avançar de fase no torneio internacional, foi eliminado precocemente da competição.

Alguns acontecimentos importantes marcaram a vida dos dois clubes da disputa da Libertadores até agora. O Atlético passou por mudanças profundas e uma crise que parecia não ter fim. O Furacão chegou a ser lanterna do Campeonato Brasileiro e a ficar seriamente ameaçado pelo rebaixamento na disputa da competição nacional.

Diante deste cenário, a diretoria do Atlético precisou agir. Primeiro o técnico Paulo Autuori deixou o comando da equipe, passou a atuar na gestão do clube e deu lugar à Eduardo Baptista. O treinador até conseguiu classificar o Furacão para às oitavas de final da Libertadores da América, mas o time rubro-negro não engrenou, teve atuações desastrosas e o então comandante não resistiu e acabou sendo demitido.

O Atlético, agora, parece ter encontrado um norte para a reta final da temporada de 2017. Sob o comando do técnico Fabiano Soares, desconhecido até então no cenário do futebol nacional, o Furacão não conseguiu evitar as eliminações para Grêmio e Santos, na Copa do Brasil e na Libertadores, respectivamente, mas reencontrou seu melhor futebol. Não a toa, o time rubro-negro emplacou uma sequência de vitórias no Brasileirão, está invicto há cinco rodadas e já está brigando, inclusive com o Flamengo, pelo G6 da competição nacional.

O time também foi alterado. Fabrício, Pavez, Ederson e Guilherme, que sequer estavam no clube naqueles confrontos, são hoje titulares. Sidcley e Nikão mudaram de função, Lucho González e Thiago Heleno estão machucados, Douglas Coutinho, Pablo, Felipe Gedoz e Eduardo da Silva viraram reservas, e Otávio e João Pedro nem estão mais no clube.

Mengão

O estrelado time do Flamengo, pressionado com a eliminação precoce da Libertadores ainda no primeiro semestre, oscilou recentemente no Campeonato Brasileiro e também decidiu trocar o comando técnico. Saiu o jovem treinador Zé Ricardo e chegou o experiente técnico colombiano Reinaldo Rueda. A expectativa é de que o time da Gávea, na reta final da temporada, consiga chegar ao título da Copa do Brasil (decide uma vaga na final contra o Botafogo) e continue brigando na parte de cima da classificação do Brasileirão.

Em campo, Diego Alves foi contratado justamente após as inconstantes atuações de Alex Muralha diante do Furacão. Rodinei ganhou a vaga de Pará na lateral-direita, Juan voltou a ser titular e também chegaram Rhodolfo, Éverton Ribeiro e Geuvânio. Guerrero, destaque da equipe naquelas partidas, está lesionado, e Vinícius Júnior, de apenas 16 anos, agora está sendo utilizado.

Confira a tabela completa do Brasileirão!

Por isso, os dois times chegam em situações opostas àquelas encontradas na Libertadores para o duelo deste domingo, no Rio de Janeiro. Enquanto o Atlético vai colocar mais uma vez à prova a retomada do seu bom futebol sob o comando do técnico Fabiano Soares, o time carioca, ainda em fase de adaptação ao trabalho do técnico Reinaldo Rueda, vai tentar engrenar de vez na disputa do Campeonato Brasileiro.

No histórico recente, há um equilíbrio nos duelos entre os dois times. Pela Libertadores, o Flamengo venceu o Atlético por 2×1, no Maracanã, mas perdeu pelo mesmo placar na Arena da Baixada. Na última rodada, no entanto, os dois times lutavam pela vaga, mas o rubro-negro carioca, derrota pelo San Lorenzo, na Argentina, ficou fora por conta da vitória do Furacão diante da Universidad Católica, no Chile. Já pelo Brasileirão, em duelo realizado no Joaquim América, mais equilíbrio e o empate em 1×1 no confronto de rubro-negros.