O departamento jurídico do Atlético, através do advogado Domingos Moro, já está se preparando para o julgamento dos incidentes ocorridos na partida contra o Vasco, anteontem, na Arena Joinville. Ontem, a procuradoria do STJD ofereceu denúncia aos dois clubes e a expectativa é de que o julgamento aconteça ainda esta semana. Como esperado, a situação do Rubro-Negro é um pouco mais grave, já que era o responsável pela segurança dentro do estádio e, de acordo com a Fundação de Esportes de Joinville, o Atlético sabia que a Polícia Militar de Santa Catarina não atuaria dentro do estádio.

O Furacão foi denunciado nos artigos 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) – Deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento -, 211 – Deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infra-estrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização -, e duas vezes no 213 – Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto. Somado tudo, o clube pode perder até 20 mandos de campo, além de uma multa de R$ 100 mil. Já o Vasco corre o risco de perder 10 mandos.

O árbitro da partida, Ricardo Marques Ribeiro, que também foi denunciado e pode ser suspenso por 120 dias, relatou na súmula, além dos confrontos entre as duas torcidas, mais um fato que pode agravar a situação atleticana. Os torcedores do Furacão arremessaram uma torneira de metal em direção ao assistente Márcio Eustáquio Santiago durante a partida. O árbitro relatou também que pedras foram atiradas pela torcida vascaína em direção ao goleiro Weverton.

Para Domingos Moro, será uma batalha difícil pela frente, ainda mais com tamanha rapidez na denúncia. “Atrapalha, pois quanto mais longe o julgamento seria melhor, ainda mais em cima do fato ocorrido como será, é ainda mais preocupante. A situação fica ainda mais grave, pois segundo fiquei sabendo são denúncias distintas e já se fala em 20 jogos, o que seria um campeonato inteiro”, contou ele.

O procurador do STJD, Paulo Schimitt, acredita que a reincidência dos clubes deverá agravar a situação de ambos no julgamento. ‘O Atlético já cumpria perda de mando em Joinville e era o responsável pela segurança do jogo. Acredito que as punições serão mais rigorosas e os dois clubes já são reincidentes, são culpados pelo que aconteceu, e deverão perder mandos de campo em 2014’, ressaltou. Se o Atlético for punido, os jogos no Brasileiro do ano que vem terão que ser disputados com portões fechados. Por causa de um pedido do STJD, a CBF colocará no regulamento geral das competições nacionais que os clubes que perderem mando de campo terão que cumprir a pena com os jogos sem público na próxima temporada. O clube divulgou uma nota no site oficial lamentando os fatos e garantiu que tomará todas as medidas possíveis para identificar e punir os envolvidos nas brigas.

Além do árbitro e dos clubes, as federações de futebol de Santa Catarina e Paraná também podem ser multadas, enquanto o estádio municipal de Joinville pode ser interditado.

Confira a galeria de fotos e ajude a identificar os torcedores-marginais envolvidos na confusão.