Brasileiro diverge de argentino. Isso é fato. A rivalidade é tanta que a maioria sequer ousa pensar em torcer pelos “hermanos”. Porém, para a torcida do Atlético, a história, ainda que dolorosa, terá de ser diferente.

O Independiente, da Argentina, venceu a LDU e será adversário do Goiás na final da Copa Sul-americana -título que não pode ficar nas mãos do time brasileiro, para assegurar a presença do G4 do Brasileiro na Copa Libertadores.

O técnico Sérgio Soares, mesmo com uma pontinha de indigestão, admite que terá de ir contra a própria vontade. “O futebol argentino tem qualidade e hoje vou torcer para um argentino contra um brasileiro. Isso é que é o pior. Mas faz parte, estamos defendendo o nosso”, admitiu o treinador.

Com uma de suas principais apostas no ataque atleticano sendo justamente um jogador da Argentina, Soares mede as palavras ao falar dos “hermanos”. Ele quer mais é garantir o futebol de seu comandado.

“Eu tenho um argentino no meu time e vou precisar dele domingo. Por isso…”, silenciou Soares, referindo-se a Nieto. Torcida à parte, o treinador quer primeiro garantir que o Furacão chegue ao G4.

Para seguir com chances, o time precisa vencer o Ceará amanhã, em Fortaleza, depois passar pelo Avaí, na Arena da Baixada, e então centralizar as energias na torcida pelo Independiente, que no dia 1.º de dezembro visita o Goiás, no Serra Dourada, e no dia 8 decide o título, em casa, no estádio de nome sugestivo: Libertadores da América.

“Vamos ter que torcer contra o clube brasileiro, cada qual defendendo o seu. Mas o mais complicado é chegar domingo, no jogo contra o Avaí, e falar: faltou um pontinho; e se lamentar. Primeiro, vamos buscar essa quarta vaga”, completou o treinador.

Antes de iniciar a torcida pelo Independiente, o Furacão terá de torcer por um tropeço do Grêmio. A equipe gaúcha está dois pontos na frente e também terá dois jogos complicados pela frente. Amanhã, vai a Campinas enfrentar o Guarani, que ainda briga contra o rebaixamento. Na última rodada, recebe o Botafogo – outro candidato ao G4.

Espião

Soares já disse que não quer saber de informar os resultados de gaúchos e cariocas aos jogadores durante a partida, mas o goleiro Neto pode romper com o pacto.

Como ele vai ficar próximo dos repórteres de rádio que acompanham a partida atrás da meta, poderá receber informações privilegiadas e passá-las ao time. “Ainda mais se estivermos ganhando de um ou dois a zero. Tem que estar perguntando, estar ligado. Dependemos de nós mesmos e depois vamos esquentar a cabeça com os outros jogos”, disse o goleiro.