Faltando pouco para encarar mais uma final de competição internacional, o meia-atacante Nikão concedeu uma entrevista ao Olé, da Argentina, em que destacou sua superação ao vencer outra batalha que o exigiu fora de campo: o alcoolismo. Falando um pouco de sua infância difícil, o camisa 11 disse que vive hoje o momento mais especial de sua vida e se sente totalmente recuperado do vício. O jogador de 26 anos estará entre os titulares no confronto entre Athletico e River Plate que acontecerá nesta quarta-feira (22), na Arena da Baixada, às 21h30, pelo jogo de ida da decisão da Recopa Sul-Americana. A volta será no dia 30, em Buenos Aires.

Nikão, que nasceu em Montes Claros, Minas Gerais, não conheceu seu pai biológico e sofreu prematuramente com a morte da mãe quando tinha apenas nove anos. Ainda na infância, começou a consumir bebidas alcoólicas, uma dependência que se arrastou por anos em sua vida e se encerrou somente quando tinha 22 anos, quando justamente chegou ao Athletico.

+ Leia mais: Athletico dá o pontapé inicial na busca pelo título da Recopa

“Passei por tempos muito difíceis e, no entanto, aqui estou eu. Infelizmente, aos 12 anos comecei a beber e a verdade é que sair do alcoolismo não era fácil. Esse vício me machucou muito na minha carreira, mas não me culpo por isso. O mais importante é que consegui buscar ajuda, consegui me recuperar e hoje estou fazendo o que mais amo, que é jogar futebol e em um grande clube como o Athletico “, disse ao famoso jornal argentino na entrevista que foi publicada na segunda-feira (21).

No Furacão desde 2015, o jogador, que já teve passagens por Atlético-MG, Bahia, Vitória, Ponte Preta, América-MG, Linense e Ceará, está em seu melhor momento da carreira. Nikão foi um dos pilares do time que conquistou a Sul-Americana de 2018 e nesta temporada é unanimidade entre os titulares de Tiago Nunes na disputa da Copa Libertadores. Para ele, esse novo momento se deve à dedicação que teve para mudar.

+ Serviço: Saiba como assistir a Athletico x River Plate em qualquer lugar do planeta

“Acredito que tudo o que alcançamos em nossas vidas começa com o esforço. Para sair de qualquer situação difícil, seja álcool, drogas ou outros vícios, é preciso primeiro aceitar o problema e depois ter força para combatê-lo. Para conseguir grandes coisas, é necessário se livrar de tudo de ruim que o rodeia. É por isso que estou aqui, mais forte do que nunca e esperando alcançar outro objetivo em minha vida. Eu só me concentro no que virá”, afirmou na entrevista.

Casado, pai de um menino de dois anos e meio, Nikão se disse abençoado pela vida que tem e que o futebol o salvou. Sobre o confronto com o gigante argentino River Plate, o jogador deixou claro que não acredita haver favoritismo por parte dos ‘hermanos’, uma vez que chegam à disputa credenciados pelo título da Libertadores. Para ele, o embate se dará em campo durante os 180 minutos de forma igual.

+ Leia mais: Lucho González reencontra o seu ex-clube, agora como adversário

“Vai ser 50 a 50 (%). Já mostramos na fase de grupos da Libertadores que somos uma grande equipe, vencendo rivais importantes como o Boca. É por isso que acho que não há favoritos nesta série. É claro que temos respeito pelo River por seus grandes jogadores, mas também temos nossas armas para ser campeões. A série estará aberta até o último minuto que jogarmos no Monumental”, garantiu.

O jogo terá transmissão exclusiva pelo DAZN, um serviço de streaming, que disponibilizará aos seus usuários os dois confrontos entre Athletico e River Plate: tanto o jogo da ida, na Arena da Baixada, nesta quarta-feira(22), quanto a grande decisão da volta, que acontecerá no dia 30 em Buenos Aires.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!