Ídolo do Athletico, o meia-atacante Nikão desabafou sobre a má fase do time, que está na zona de rebaixamento, sem vencer há cinco jogos e tem o pior ataque do Brasileirão.

“Para mim é muito difícil. São seis anos de clube. Por tudo que passei e vivi aqui, tenho o sentimento de torcedor. Dói mais”, disse o jogador em entrevista às rádios Banda B e Transamérica. Nikão defende a camisa rubro-negra desde 2015 e foi fundamental nas conquistas da Sul-Americana e da Copa do Brasil.

>> Cristian Toledo analisa empate do Athletico

Nikão voltou a jogar pelo Athletico após mais de um mês longe dos gramados por conta de uma lesão no tornozelo. A última partida dele foi o Atletiba, na 10ª rodada.

Contra o Atlético-GO, o jogador entrou em campo aos 9’ do segundo tempo e mudou o panorama da partida, dando, inclusive, a assistência para o gol de empate de Léo Cittadini e melhorando o setor ofensivo.

>> Tabela e classificação do Brasileirão

Contudo, Nikão confia na recuperação do Furacão para a sequência da temporada. “Assim como as fases boas passam, as ruins também vão passar. Temos um grupo bom que trabalha duro diariamente. Tenho certeza as coisas vão voltar ao normal”, analisou.

O Athletico muda o foco agora para a Libertadores. Já classificado, o Furacão encara o Peñarol na próxima terça-feira (20), às 21h30, em Montevidéu, no Uruguai, pela última rodada da fase de grupos da competição.

Para o duelo, há possibilidade de o Rubro-Negro ter novidade no comando. Paulo Autuori, anunciado como novo diretor técnico no sábado (17), pode atuar ao lado do técnico interino Eduardo Barros enquanto o clube busca um novo técnico.

+ Mais do Furacão:

+Petraglia chama Athletico de time de bairro e dispara: “Não me façam me arrepender”
+ Athletico confirma o retorno de Paulo Autuori
+ Clubes usam redes sociais e se aproximam dos torcedores na pandemia


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?