Bauru – O pelotão da Volta Ciclística de São Paulo cruzou ontem a barreira simbólica da metade do percurso, que no total tem cerca de 1.100 km. A chuva castigou os ciclistas durante os 173 km da etapa entre São Carlos e Bauru. Mesmo assim, a velocidade média não foi baixa (39,263 km/h) e os estrangeiros voltaram a mostrar força. O argentino Emilio San Martin foi o primeiro colocado, com o tempo de 4h24m59, e assumiu a liderança geral da prova.

"A etapa foi dura por causa da chuva. Tive sorte porque fiz uma boa diferença quando escapei", disse Emilio San Martin, cuja especialidade são os trechos em subida. O argentino tem agora dois segundos de vantagem sobre o brasileiro André Grizante, o segundo colocado na classificação geral.

"Eu estava mais preocupado com a classificação geral, em não tomar tempo dos outros e, se desse, descontar um pouco", afirmou o brasiliero Renato Ruiz, que ficou em segundo lugar na etapa e saltou para a 3.ª posição na prova.

Rumo ao bi

A equipe Memorial-Santos continua firme na disputa pelo bicampeonato na Volta Ciclística do Estado de São Paulo. O argentino Jorge Giacinti, principal reforço para 2005, depois de ter liderado a competição, segue a apenas 12 segundos do líder, o seu compatriota Emilio San Martin (Monti), vencedor da etapa, realizada ontem.

"Está tudo correndo dentro do previsto, do esperado. A diferença entre os líderes é pequena e ainda temos muita competição pela frente. A volta deve começar a ser definida nesta quinta-feira", disse o técnico da equipe Memorial, Cláudio Diegues, referindo-se à prova de contra-relógio, que será disputada hoje em São José do Rio Preto. Os atletas irão pedalar 24,2 km, sozinhos, competindo contra o cronômetro, um tipo de disputa que Giacinti é especialista.

Hoje, os 24 km do percurso contra-relógio nas ruas de São José do Rio Preto devem selecionar quem vai mesmo brigar pelo título da Volta de São Paulo, que acaba domingo.