enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Paredões

Antes vilões, goleiros são os destaques do futebol paranaense

Wilson, Santos, Simão e André Luiz estão brilhando com as camisas de Coritiba, Athletico, Operário e Toledo

  • Por Guilherme Moreira
Wilson, Santos, Simão e André Luiz estão se destacando e sendo peças fundamentais em seus clubes. Fotos: Albari Rosa/ Albari Rosa/ André Rodrigues/ Albari Rosa

Muitas vezes vilões, os atuais goleiros dos principais times do Estado têm atenções especiais no futebol paranaense. Wilson (Coritiba), Santos (Athletico) e Simão (Operário) são peças fundamentais em suas equipes, assim como André Luiz, do atual campeão da Taça Barcímio Sicupira Júnior, o Toledo.

A maior estrela é o arqueiro do Coxa. O jogador, que completou 200 partidas com a camisa alviverde no último domingo (24), sendo o quinto na lista de goleiros que mais atuaram pelo clube, é o único poupado pela torcida na péssima fase no Alto da Glória. Contratado na metade de 2015, ele se destacou mesmo com péssimas campanhas no Campeonato Brasileiro das séries A e B. O atleta, que teve proposta da Chapecoense em janeiro e ficou, conquistou um título pelo Alviverde, o Campeonato Paranaense de 2017

Wilson chegou a 200 jogos com a camisa do Coxa e vai fazendo história no clube. Foto: Albari Rosa

Wilson chegou a 200 jogos com a camisa do Coxa e vai fazendo história no clube. Foto: Albari Rosa

Com 35 anos, Wilson passou nesta semana por uma cirurgia na mão e ficará de seis a oito semanas fora dos gramados. Em 2018, ele já havia ficado sem jogar durante a Série B e a esperança de acesso, que já era baixa, diminuiu ainda mais. Além das defesas, o arqueiro tem nove gols pelo Verdão.

+ Leia também: Atento ao mercado, Coxa busca reforços pra quase todos os setores

Já Santos teve um 2018 mágico no Furacão. Com a venda de Weverton para o Palmeiras, o arqueiro de 28 anos disputava vaga com Rodolfo e Léo e, aparentemente, estava atrás na disputa, tanto que estava inscrito no Campeonato Paranaense. Só que Rodolfo foi para o Fluminense, Léo vivia momento irregular e Santos assumiu a bronca de substituir o campeão olímpico.

+ Mais na Tribuna: Furacão está rifando medalha da Sul-Americana

Visto com desconfiança no início, já que nunca se firmou na meta atleticana, ele fez boas apresentações no ano passado, ficou entre os três arqueiros com mais defesas difíceis (31) do Campeonato Brasileiro e, para coroar a temporada, foi um dos destaques na conquista inédita da Taça Sul-Americana. No clube desde 2009, o arqueiro já jogou 109 vezes com a camisa rubro-negra.

Santos recebeu a missão de substituir Weverton em 2018 e deu conta do recado. Foto: Albari Rosa

Santos recebeu a missão de substituir Weverton em 2018 e deu conta do recado. Foto: Albari Rosa

Herói do Fantasma

No Operário, Simão foi o rei nas campanhas dos acessos e dos títulos das Séries D e C do Brasileirão, em 2017 e 2018, respectivamente. No ano passado, em especial, o goleiro de 25 anos ganhou destaque na disputa de pênaltis contra o Bragantino, pela semifinal, e por fazer cinco defesas difíceis em sequência na finalíssima contra o Cuiabá.

O seu ótimo desempenho chamou a atenção de clubes como o Avaí e Fluminense, que fizeram propostas para tirar o arqueiro de Ponta Grossa. O contrato do jogador terminava em outubro deste ano, mas a diretoria conseguiu segurá-lo e renovou até 2021, com uma multa de R$ 2,5 milhões. Desde 2016 no Fantasma, ele tem 76 jogos com a camisa alvinegra e é um dos ídolos da torcida.

Com grandes defesas, Simão vem sendo decisivo pro Operário nos últimos anos. Foto: André Rodrigues

Com grandes defesas, Simão vem sendo decisivo pro Operário nos últimos anos. Foto: André Rodrigues

Grata surpresa

Por fim, uma nova estrela surgiu no final de semana passado. André Luiz, do Toledo, fechou o gol no empate por 1×1 no tempo normal e pegou duas penalidades para garantir o primeiro título da história do Porco. Antes, na semifinal, diante do Operário, também foi o herói ao fechar a meta no tempo normal e pegar um pênalti nas cobranças.

O arqueiro de 22 anos havia jogado apenas uma vez pelo clube, em 2016, e tem sua primeira real oportunidade no Estadual. Ao todo, são apenas nove jogos com a camisa tricolor, mas já tem a Taça Barcímio Sicupira Júnior no currículo e vai superando as desconfianças por conta dos seus apenas 1,80m de altura.

André Luiz mostrou seu cartão de visitas ao ser o herói do Toledo na Taça Barcímio Sicupira. Foto: Albari Rosa

André Luiz mostrou seu cartão de visitas ao ser o herói do Toledo na Taça Barcímio Sicupira. Foto: Albari Rosa

Vale lembrar, também, que o Paraná Clube estava nessa lista até o começo deste ano. Richard, vendido por R$ 1,5 milhão ao Ceará, era poupado na vergonhosa campanha da Série A de 2018 e se destacou ao lado de Alex Santana. O goleiro, com grandes defesas, foi o principal nome no acesso conquistado em 2017 após dez anos na Série B. Ele fez 63 jogos pelo Tricolor em duas temporadas.

+ APP da Tribuna: As notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

1 Comentário em "Antes vilões, goleiros são os destaques do futebol paranaense"


Fabiano Duarte
Fabiano Duarte
5 meses 15 dias atrás

Para o Santos realmente foi uma guinada na carreira, já para o Wilson as boas atuações de nada adiantaram, 3 rebaixamentos no currículum e não foi para a Chape pq as diretorias não se acertaram, pior para ele que arrisca mais um rebaixamento em 2019 para terceirona

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas