Alvaro Pereira não joga mais pelo São Paulo. O lateral-esquerdo uruguaio alegou problemas pessoais e está acertando a transferência para o Estudiantes, da Argentina. Ele sequer viaja com a delegação para Manaus para a disputa do Super Series e deve ter a saída confirmada em breve pelo clube.

O uruguaio chegou ao Morumbi no ano passado e rapidamente caiu nas graças da torcida pelo seu estilo raçudo e brigador. As boas exibições no início de temporada foram ficando para trás e ele terminou 2014 acumulando cartões, suspensões e atuações ruins.

Ao mesmo tempo em que não conseguia desempenhar boa função em campo, o jogador pediu um aumento de salário para a diretoria e entrou em rota de colisão com o clube. Além de gerar desconforto, ele ouviu que seu vínculo de empréstimo com a Inter de Milão (expiraria em junho) não seria prorrogado e que o clube não pagaria os cerca de R$ 24 milhões para contratá-lo em definitivo.

“O motivo pela minha saída é extrafutebol e pessoal. Serei eternamente agradecido aos dirigentes por entenderem a minha necessidade”, afirmou o atleta ao site oficial do clube. Ele já se despediu dos companheiros.

O Estudiantes aceitou pagar uma indenização para o São Paulo liberá-lo. A compensação financeira era uma imposição da diretoria para deixá-lo partir. O Boca Juniors também estava interessado na contratação.

“Infelizmente perdemos um grande atleta, que tanto representa para o nosso grupo. Ele estava em nosso planejamento para 2015 e não mediríamos esforços para mantê-lo. Mas, ele me chamou e expôs motivos estritamente pessoais para solicitar sua saída. O futebol é feito por pessoas, suas felicidades e angústias, que devem estar acima de qualquer outro interesse. É assim que pensamos. Embora a ausência do Alvaro não tenha preço, o São Paulo receberá uma indenização financeira”, ponderou o gerente de futebol, Gustavo Vieira de Oliveira.