Publicidade

Curitiba Santa Cândida

Varal à venda vira ação social e conquista vizinhança de Curitiba

Um varal do bem foi estendido em frente a uma loja de materiais de construção no Santa Cândida, em Curitiba. A iniciativa veio da proprietária do estabelecimento há cerca de duas semanas, em um estalo criativo. Ao armar os varais na calçada para colocá-los à venda, do balcão da loja ela notou que poderia fazer muito mais do que marketing de produto. A empresária Andréia Cristiana Porto, 43 anos, decidiu criar um ponto para doação e distribuição de roupas para os menos favorecidos. O sucesso foi tanto que a vizinhança adotou o varal. As doações não param de chegar e as postagens nas redes sociais bombaram. A loja fica na Avenida Paraná, 4484.

+Caçadores! Por que é tão difícil arrumar emprego depois dos 50 anos?

As doações chegam o dia todo, desde que o varal foi ativado. São estendidas roupas de todos os tamanhos e estações do ano. Também tem espaço para calçados. Na última sexta-feira, a advogada Ana Paula Rocha e Silva, 44 anos, levou roupas e pares de tênis para doação. “Vi essa mensagem no varal e achei muito bacana a iniciativa. É muito fácil ajudar, mas nem todo mundo faz. Eu vi e já postei nas minhas redes sociais, no grupo de mensagens do Bacacheri e espero que mais gente venha colaborar. Quero expandir isso, parabéns. Por mais pessoas assim no mundo”, comentou.

O cartaz exposto no varal, feito com cartolina comprada na papelaria vizinha à loja da Andréia Porto, explica que “quem tiver para doar, pode pendurar… Se precisar, pode pegar”. Só não vale levar os grampos. “Eu coloquei ali a mensagem para garantir que tenha grampo para todo mundo”, brincou a Andréia Cristina. A dona da papelaria, Gislene Zanon, 41 anos, ficou feliz ao saber do destino dado à cartolina e também doou. “Achei muito bacana a iniciativa e já trouxe as minhas doações. Foram roupas do marido e das crianças. Fomos juntando tudo na hora e eu trouxe. A Andréia é uma pessoa querida”.

+Caçadores! Quíntuplos nascem cheios de saúde na Grande Curitiba!

As primeiras roupas penduradas no varal do bem eram da própria empresária, do marido e dos filhos. “A ideia partiu de mim, nada mais justo que eu começasse a fazer as doações. Inclusive, peguei algumas roupas a mais, que o marido ainda nem tinha pensado em doar”, se diverte, enquanto fala sobre o objetivo do espaço. “De vez em quando você faz uma doação, de uma sacola inteira para uma pessoa, porém não é a numeração dela, ela não tem criança ou algo assim. Vindo aqui, olhando a roupa, ela vai pegar o que vai servir para ela e deixar aquilo que não servir para outra pessoa”, explica a Andréia Porto.

+Caçadores! Cuteleiro de Curitiba faz sucesso internacional com vídeos na internet!

Contagiante

Andréia e o filho estão a frente da ideia que conquistou a vizinhança. Fotos: Lineu Filho/Tribuna do Paraná
Andréia e o filho estão a frente da ideia que conquistou a vizinhança. Fotos: Lineu Filho/Tribuna do Paraná

Segundo a empresária, desde que o varal foi instalado, os vizinhos residenciais e comerciantes da região estão fomentando a ideia. “Todos adoraram e postaram nas redes sociais deles, no Instagram e Facebook. De alguma forma, isso acabou viralizando. Isso foi muito bacana, pois as pessoas que precisam passam e levam as doações”, contou.

+Caçadores! Restaurante serve marmita a necessitados e gera polêmica na vizinhança!

Ela também contou que, no começo, as pessoas achavam que a loja de materiais de construção teria iniciado também um brechó. Depois, tudo ficou resolvido e o entra e sai de roupas segue a dinâmica do pendura e recolhe. “Se o varal estiver cheio, eu recebo a roupa dentro da loja e, depois, eu mesmo penduro. Então, de alguma forma, tudo que está sendo doado é guardado, para não molhar, não sujar e eu já coloco no varal do bem. Está super legal mesmo. Estamos bem felizes por ajudar o próximo. Isso não tem preço. A gente faz o pouquinho que podemos e isso se torna uma diferença enorme na vida das pessoas. Gente do Santa Cândida, do Tingui, da cidade vizinha de Colombo já me trouxe roupa. Estou muito feliz em poder ajudar o próximo”, disse.

O estudante de Veterinária Allan Cristian Porto, 20 anos, filho da empresária, ajuda a mãe a tomar conta da loja e disse que o marketing do produto acabou ficando em segundo plano. “Minha mãe sempre surpreende com as suas ideias. Eu não sabia de nada. Quando vi, a ação estava rolando e as pessoas participando e apoiando. Eu também apoio”, revelou. Para quem ficou curioso com o preço dos varais, o valor dos modelos varia de R$ 49,90 a R$ 109,90. Mas claro, os produtos não acompanham as roupas.

+Caçadores! Empresa da Grande Curitiba concorre ao ‘oscar’ do atendimento ao cliente!

As doações para o varal do bem podem ser feitas em horário comercial. A loja abre das 8h30 às 17h30. A retiradas das doações também podem ser feitas nesse horário. Mais informações podem ser acessadas no Facebook da loja.

Conheça o gaúcho que virou sua vida para cuidar de Curitiba

Sobre o autor

Alex Silveira

Alex Silveira

(41) 9683-9504