enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Água Verde Curitiba

Saiba como funciona equipamento que pode ter causado explosão de apartamento no Água Verde

por Giselle Ulbrich e Lucas Sarzi

A explosão de um apartamento no último sábado, no bairro Água Verde, em Curitiba, causou comoção e gerou preocupação sobre o uso dos equipamentos de impermeabilização de sofás, apontados como causadores da tragédia. A morte do jovem Mateus Henrique Lamb, de apenas 11 anos, e a hospitalização de Raquel Lamb, sua irmã, Gabriel Araújo, marido de Raquel, e Caio Santos, técnico da empresa que prestava o serviço, deixou potenciais clientes em pânico e levantou dúvidas sobre como funciona o processo e os equipamentos utilizados pelas empresas especializadas.

A Tribuna do Paraná foi até uma delas para mostrar como funciona a máquina que é utilizada para a impermeabilização dos sofás, bem como o que poderia ter acontecido na opinião da proprietária.

Confira no vídeo acima:

Josiane Menegusso, de 40 anos, é dona de uma empresa de impermeabilização e contou à reportagem que no momento do serviço todo cuidado é pouco. “As pessoas criam uma negatividade muito grande em cima deste trabalho, mas é preciso falar sobre isso para tirar a impressão negativa. É o mesmo problema que você pode enfrentar instalando um botijão de gás sem tomar os devidos cuidados”.

Durante a impermeabilização, um gás de cheiro forte é produzido e costuma “subir” para a parte mais alta dos cômodos. Se o acúmulo for muito grande e a ventilação deficitária, aliado a uma faísca, pode causar o acidente.

+ Você pode ajudar! Amigos e familiares organizam vaquinha para ajudar família que teve apartamento destruído

Segundo Josiane, o serviço pode ser feito em casas, inclusive com a presença dos moradores. No entanto precisam ser observados alguns cuidados, como o uso de máscaras. Durante o processo não se deve utilizar micro-ondas, não usar o interruptor de luz, o fogão e nada que produza chamas ou faíscas.

“O ambiente tem que estar arejado e os moradores não devem utilizar nada que possa provocar chamas no momento da aplicação”, explicou ela, reforçando, ainda, que “depois de finalizada, também é preciso aguardar, aproximadamente 15 minutos, para usar a casa normalmente. Também precisa haver cooperação dos moradores”.

Há dez anos no ramo, Josiane disse que nunca nenhum de seus funcionários sofreu algum acidente. “Mas a gente sempre segue um protocolo de segurança, que precisa mesmo ser seguido e faz com que não precise ter medo do trabalho. A impermeabilização pode ser feita em tecidos: cortina, sofá, colchão, têxtil e serve para evitar que o tecido receba a sujeira e fique impregnado, evita que manche e prolongua a vida útil”.

+ Leia também: O horror da tragédia. Vizinhos relatam sobre os momentos após explosão

A dica que a especialista deu serve de alerta às pessoas que possam buscar pelo serviço futuramente. “Embora saibamos que seja um trabalho que não é barato, indicamos que sempre a pessoa procure se certificar de que a empresa está trabalhando com um produto que é certificado na Anvisa e também se o CNPJ é certificado para trabalhar. Você pode até perder um tempinho verificando tudo, mas é muito necessário fazer isso antes de contratar, para saber o que está levando para dentro de casa”.

Importante frisar também que impermeabilização é diferente de higienização, que é um processo mais simples, com equipamentos bem diferentes.

Confira a entrevista completa:

Sobre o autor

Tribuna do Paraná

Tribuna do Paraná

Buscamos os mais variados tipos de histórias na Grande Curitiba e litoral: curiosas, engraçadas, problemáticas, exemplos de vida... E-mail: cacadores@tribunadoparana.com.br

Deixe um comentário

avatar

6 Comentários em "Saiba como funciona equipamento que pode ter causado explosão de apartamento no Água Verde"


Rafael Pilha
Rafael Pilha
1 mês 15 dias atrás

É mais barato comprar um sofá em couro ou uma capa plástica do que correr risco com isso, é um absurdo como a prefeitura permite um procedimento desse no local.

Rafael Pilha
Rafael Pilha
1 mês 15 dias atrás

“…Durante o processo não se deve utilizar micro-ondas, não usar o interruptor de luz, o fogão e nada que produza chamas ou faíscas …” Se o processo não fosse perigoso , não existiria tantas restrições, é perigoso sim, e só deve ser feito em ambientes abertos, é só ver a quantidade de acidentes que acontecem.

Oscar Aglio
Oscar Aglio
1 mês 15 dias atrás
Se o risco sempre foi grande, é um milagre não ter ocorrido acidentes antes, em mais oportunidades. Eu mesmo, há muitos anos atrás, pensei em impermeabilizar um sofá-cama. Mas o custo era tão alto, que pelo preço do móvel, achei que não valia à pena. E ainda tinha o odor muito forte, que presenciei a partir do apartamento de um vizinho, quando ele fez o mesmo que o casal da reportagem. Só que isso era DOIS ANDARES ACIMA. E o cheiro era insuportável, e assim ficou por umas duas horas. Talvez depois desse mega-acidente, Prefeitura e o Corpo de Bombeiros… Leia mais »
alex lemarchand
alex lemarchand
1 mês 15 dias atrás

protocolo de segurança.. ahan.. claro claro.. vai ver que caiu um raio no apto entao ne…

Oscar Aglio
Oscar Aglio
1 mês 15 dias atrás

Sim, mas como todo protocolo tem seu calcanhar de Aquiles. Pode nem ter sido qualquer aparelho eletrodoméstico ligando, ou interruptor. Como o clima estava muito seco há vários dias, pode te sido simplesmente eletricidade estática em tecidos sintéticos próximos, como cortina, tapete, ou em uma simples blusa de lã acrílica de um dos presentes.

Flavio Steiner
Flavio Steiner
1 mês 15 dias atrás

Comentário besta…

wpDiscuz
(41) 9683-9504