Pegue a fita métrica e meça sua cintura. Para além de questões estéticas, este método simples revela muito sobre sua saúde! Estudos mostram que a circunferência abdominal avantajada, denotando concentração de gordura visceral, relaciona-se com o aumento da mortalidade.

Localizada ao redor dos principais órgãos do corpo, a deposição de gordura intra-abdominal é perigosa, ela está associada ao desenvolvimento de desordens metabólicas, o que acentua o risco de cardiopatias ou outras doenças crônicas.

Alerta máximo para mulheres com medidas superiores a 88 cm e homens com mais de 102 cm! Entretanto, mulheres com mais de 80 cm e homens acima de 94 cm já são considerados grupos de risco. Sedentarismo, fatores genéticos, idade, sexo, ingestão de bebidas alcoólicas e tabagismo podem interferir nesse quadro.

Para medir, procure o maior perímetro entre a última costela e a crista ilíaca (parte superior do quadril). Posicione a fita métrica em volta do abdômen, relaxe-o e expire na hora da aferição.

Outro recurso fácil para verificar como estão seus níveis de gordura e peso é o cálculo do índice de massa corporal, dividindo o peso (em quilos) pela estatura (em metros) elevada ao quadrado. Contudo, ele é um mecanismo impreciso, uma vez que não determina se o excesso de peso corresponde à gordura ou à hipertrofia muscular (comum em pessoas que treinam) e não distingue se o tecido adiposo está acumulado no abdômen, o mais preocupante, ou nos membros.

Logo, a mensuração da obesidade abdominal é o método mais simples e confiável para a identificação de situações de risco. Caso exceda os limites citados, busque um médico. Atividade física e alimentação saudável serão seus maiores aliados!

Contato: jrbarao@gmail.com.