Aproveitando a ocasião do lançamento da segunda temporada da séria The Crown, disponível na Netflix desde a última sexta-feira (8), no post de hoje, eu listo sete sugestões de séries pra ver (ou rever) durante a licença-maternidade. Eu sei muito bem que é difícil encontrar tempo para qualquer outra coisa que não seja cuidar do bebê ou dar conta das outras atividades domésticas nesse período, mas, por outro lado, também acho muito importante a recém-mãe encontrar um tempo para se distrair (fazer e pensar em outras coisas é essencial para manter a nossa sanidade mental!).

Lembro que, durante a minha licença-maternidade, uma das coisas que eu mais gostava era de assistir séries, porque a duração dos episódios (50 minutos, 1 hora, no máximo) cabia certinho no tempo que eu tinha “livre” entre uma mamada e outra. “Perdi” algumas tardes com o Davi no meu colo, dormindo, e o tablet na mão assistindo séries. Minha preferência na época era Vikings, mas, como eu sei que essa série pode não agradar tanta gente, acabei deixando de fora da minha lista. Lembrando que as sugestões não abrangem apenas produções que tratam do universo da maternidade, mas que considero boas opções para se divertir (ou se emocionar) no outro tempo livre que temos nesse período.

The Crown

Para quem gosta de uma boa série histórica, com muitos conflitos e uma pitada de romance, essa série original da Netflix pode ser uma boa opção. A produção conta a história da rainha Elizabeth II, viva até hoje. A primeira temporada, lançada no ano passado (quando eu ainda estava de licença-maternidade, vejam só!), conta os primeiros anos do reinado dela, após a morte de seu pai, o rei George VI. A segunda temporada, lançada agora, dá continuidade à história e promete ainda mais drama.

How I Met Your Mother

Ted Mosby (Josh Radnor) demora nove temporadas para contar a seus filhos toda a história de como ele conheceu a mãe dos meninos. Como a série já encerrou, talvez vocês já tenham visto alguns spoilers por aí, mas garanto que vale a pena assistir a série inteira desde o começo, principalmente por causa da estratégia narrativa utilizada. Parece uma série bobinha, mas tem muitas questões de maternidade para ao longo da trama para refletir também.

Call The Midwife

Não encontrei nenhum trailer legendado, mas achar a série é fácil! Ela está disponível na Netflix até a quinta temporada! Para quem procura uma série mais relacionada ao universo da maternidade, essa é uma das melhores, afinal, ela conta a história de um grupo de parteiras que trabalham na Londres da década de 1950 (e é baseada no diário de uma delas, que viveu todas aquelas histórias de verdade). Uma sugestão da nossa colega de redação, Malu, que eu amei!

Downton Abbey

Também disponível na íntegra na Netflix, essa série é uma das minhas queridinhas de sempre. O trailer acima é da terceira temporada (pra mim, a melhor delas, inclusive), mas toda a produção tem com seis temporadas e conta a vida das famílias Grantham e Crawley (e de seus empregados) no interior da Inglaterra, a partir da década de 1920. O único “problema” é que a série tem que ser assistida com uma caixa de lenços do lado porque é de se acabar em lágrimas.

The Handmaid’s Tale

Esta, eu particularmente ainda não vi, mas sugiro aqui porque li o livro e fontes confiáveis me disseram que a série é ainda melhor. A trama, que se passa em um futuro distópico, faz a gente refletir muito sobre o papel da mulher na nossa sociedade, inclusive enquanto esposas, mães e reprodutoras (eu sei que essa palavra é meio chocante, mas quem assistir a série vai entender o que quero dizer, não quero entrar mais em detalhes para não dar spoiler).

Sex and The City

Provavelmente, a séria mais antiguinha aqui (e, por isso mesmo, clássica!). Como não se envolver com as peripécias amorosas de Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker) e suas amigas Charlotte York (Kristin Davis), Miranda Hobbes (Cynthia Nixon) e Samantha Jones (Kim Cattral)? Faz muito tempo que assisti à série, mas imagino que hoje, sendo mãe, a percepção sobre os dilemas enfrentados pelo quarteto deve ser muito diferente, principalmente em relação à luta de Charlotte para conseguir engravidar e ser mãe.

The Tudors

Mais um drama histórico sobre a família real inglesa (pra quem ainda tinha dúvidas se eu amo a Inglaterra, agora pode ter certeza!). Desta vez, é a história do rei Henrique VIII (aquele famoso, que condenou uma de suas esposas, a Ana Bolena, à morte e criou a Ingreja Anglicana) que é contada em quatro temporadas. Só não dá pra ver perto das crianças, pois há várias cenas sensuais (afinal, o rei em questão teve nada menos do que seis esposas!).