Aqui é o Marlon Roza, mentor e palestrante de negócios e investimentos, CEO do canal no Youtube e Instagram Amigo de Negócios (@amigodenegocios), pós graduando em planejamento e gestão de negócios, advogado empresarial e técnico em contabilidade.

É com grande alegria que a partir de hoje faço parte do time Tribuna do Paraná, através da minha coluna Amigo de Negócio.

O objetivo é trazer a você leitor muitas dicas, formação, informação e entretenimento referente ao mundo dos negócios e investimentos.

E, já neste primeiro texto quero trazer curiosidades a você sobre o tema do momento, a nova ferramenta do Banco Central do Brasil que promete revolucionar o mundo dos negócios, especialmente dos pagamentos, a ferramenta PIX.

Na televisão só falam de PIX. Se você tem checado seu aplicativo do banco, lá está o banner e a solicitação para cadastrar sua chave PIX. Você recebe e-mail’s, mensagens, vídeos, propagandas, em todos os lugares tem algo sobre a nova ferramenta PIX. Mas…

Logotipo PIX retirado do site Banco Central do Brasil

Em diversos países as transações bancárias, especialmente os pagamentos, já são realizadas por QRcode. O QRCode, nada mais é do que uma espécie de código de barras, bidimensional, para escaneamento por celular.

Na mesma ideia, o Banco Central do Brasil (BACEN) preparou uma nova ferramenta com o conceito similar de facilitação de transações e pagamentos bancários.

O PIX é um meio de pagamento eletrônico brasileiro, e não uma criptomoeda, que faz parte do Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), estabelecido pelo comunicado nº 32.927/2018, atualizado pelo comunicado nº 34.085/2019, do Branco Central do Brasil.

CURIOSIDADES E VANTAGENS COM A CHAVE PIX

1- Quando você precisa receber uma transferência de outro banco é necessário repassar ao transferidor ao menos os seguintes dados: nome/número do banco, número da agência, número da conta, CPF e o nome do receptor. Com o PIX você substituirá todos esses dados por apenas uma chave, a chave PIX.

As chaves que você poderá cadastrar corresponde ao: CPF, e-mail, telefone ou chave aleatória criada pelo sistema; basta você escolher.

Além disso, para compras físicas o PIX será realizado por meio do QRcode, similar ao já utilizado em outros países.

2- Atualmente as transações de transferências entre bancos tem o nome de DOC ou TED. O DOC (Documento de Ordem de Crédito) quando realizado leva de 01 (um) a 2 (dois) dias para compensar na conta do receptor; já a TED (Transferência Eletrônica Disponível) pode levar até 04 (quatro) horas para se concretizar. Com o PIX este tipo de transação levará apenas 10 (dez) segundos, ou seja, será instantâneo.

3- Os grandes bancos normalmente cobram tarifas para realizar estes tipos de transações (DOC e TED) que variam entre R$10,00 (dez reais) a R$15,00 (quinze reais). Com o PIX não haverá qualquer tarifa para pessoas físicas e MEI.

4- Vale lembrar que o DOC e TED quando feitos aos finais de semana ou feriados são compensados somente no primeiro dia útil seguinte; a TED inclusive somente até as 17 horas. Já com o PIX a compensação acontecerá instantaneamente, 24 horas por dia, 07 (sete) dias por semana e inclusive feriados.

5- Para as pessoas jurídicas (MEI) que pagam tarifas na utilização das maquininhas de débito ou crédito, terão essa opção para fugir das tarifas.

6- Os grandes bancos apostam que a nova ferramenta possa atrair aqueles antigos clientes que abandonaram em razão do aparecimento das novas fintech’s, ou até mesmo fidelizar os atuais clientes.

O cadastro das chaves em seu banco já começou, mas as transações somente após o dia 16/11. Você já cadastrou sua chave PIX?

Meu nome é Marlon Roza, e a partir de agora sou seu Amigo de Negócios.